domingo, 9 de abril de 2017

Sunday songs [15]: Mulher de enfeite

A presença feminina em videoclipes é frequente. Elas são as próprias artistas da banda, ou então são atrizes que protagonizam uma mini-história dentro do clipe, ou então são modelos que emprestam sua imagem para encarnar personagens, ou representar alguma coisa. Ou elas também são... são... ehr... bom, elas estão lá no clipe, mas o motivo pra estarem lá, é meio incerto. O que se sabe, é que elas aparecem em cenas curtissimas e aleatrorias, fazendo a gente questionar seriamente qual a necessidade delas aparecerem. E é pra isso que a playlist de hoje serve, pra deixar a gente confuso, intrigado e abismado, pensando "pra quê, gente?".

Nesse primeiro vídeo, a presença feminina é mais ou menos justificada: o vocalista já deixou de parecer uma menina hoje em dia, então precisa de uma mulher de verdade pra compor o clipe.


Nesse segundo clipe, dá pra entender porque a mulher tá ali: ela representa a pessoa que a música tá falando mal. Mesmo assim, sua presença não é importante.


Esse clipe já está bem servido de edição e computação gráfica, mas pra encher mais ainda, tem que ter uma enfermeira sem razão nenhuma!


Aqui o negócio fica mais estranho, porque não existe uma mulher exatamente, e sim, uma presença.


Pior é aqui, onde não existe uma mulher, ou uma presença feminina, e sim uma entidade misteriosa e esquisita.


Esse clipe é o pior de todos, porque a presença da mulher é só uma das coisas que o torna totalmente cafona.



Bônus:

"Vamo pagar essa mulher só pra aparecer no clipe chupando uns limão"

0 orações:

Postar um comentário