quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Discografia do Angra

Cansado de conhecer tão poucas discografias de cor e salteado, este autor se empenhou mais e agora conhece a discografia de várias bandas brasileiras: Madame Saatan, Bad Salad, Motosserra Truck Clube, Rygel, Woslom, e outras que não tem mais de 3 discos na carreira. E agora também conhece a do Angra, que tem mais de três discos lançados! Pra comemorar tal feito, este autor vai se exibir e mostrar seu conhecimento sobre este que é um dos maiores grupos de Metal melódico do mundo.

Leia também: Discografia do Metallica

Angels Cry (1993)
Inspirado num jogo famoso aí, o disco de estreia da banda fez um enorme sucesso, atraindo especialmente os jovens nerds gamers e sem malemolência para com as meninas. O álbum se destaca por conter como integrantes uma japonesa homem que canta fino, o filho da Dona Florinda na guitarra, Jesus no baixo, e o Diabo na guitarra. O álbum também conta com as consagradíssimas "Ivo Uarnin", "Útero Raids", "Stand Away Comedy" e o clássico "Carry On My Wayward Son".

Dolly Land (1996)
E logo no seu segundo disco, a banda já se achou picuda o suficiente pra mudar seu estilo e não se importar com as críticas das pessoas. Investindo em sonoridades tupiniquins e tomando esta garrafinha pet simpática como inspiração, o Angra compôs músicas com sabor brasileiro como "Karolaine de IV", "Everything To Speak", "The ~Futura banda do Andre Matos~" e a faixa título. Também temos "Deep Purple", "Lullaby For Zelda" e "Z.I.K.A.", cuja sigla intriga os fãs sobre seu significado desconhecido até hoje.

YogaFire (1998)
Voltando ao Metal melódico tradicional, e passando por vários problemas internos, a banda praticamente passou por um parto pra lançar esse disco, que é controverso por não fazer o gosto de todos. Seus principais sucessos são "Wings of Reality Show", "Speed Racer", "London" e "Pagode Icarus".

A Nova Loira do Tchangra (2001)
Os problemas enfrentados pelo grupo culminaram na sua autodestruição. Mas os dois integrantes que sobraram chamaram outros músicos, e continuaram a tocar o Angra pra frente. Seu disco de reestreia acabou usando seu novo vocalista como chamariz, e teve as músicas "Heroes of Sandy", "Basic Rain", "Millenium Moon", "Rebite" e "Nova Ordem Mundial".

Temple of Shadows (2004)
Voltando a se inspirar em games, desta vez naquele que é protagonizado por um elfo verde que se chama Zilda, o Angra lançou o que muitos consideram o melhor trabalho da banda com Edu Falaschi. O álbum também conta com várias participações especiais, tantas que este autor não vai citar. Alguns sucessos dele são "Wishing Wishes To Wishing Well With Well Will", "The Temple of Haters", "No Pain No Gain For The Frangos" e "Angels and Demons - From The Author of The DaVinci Code".

Aurora Com Sucos (2006)
Porque nada melhor que consumir a refeição mais importante do dia com a variedade de produtos que só a Aurora oferece. Mortadelas, pães de queijo, presuntos, requeijões e leites, tudo para te fornecer uma refeição de encher a pança e te fazer esquecer dessa imagem tenebrosa desses irmãos siameses sendo carregados por um corvo. Mano, que porra é essa? Enfim, algumas faixas que se destacam nesse disco são "The Course of Natura", "Sony So Far", "Windows to Nowhere", "Passing Byredo", "Lego Painted Grey", e outras músicas cheias de jabá.

Aquarius (2010)
Se aproveitando descaradamente do sucesso que fez por cantar as músicas do famoso desenho chinês Cavalheiros do Horóscopo, a banda fez um disco inteiro baseado no Cavalheiro de Recipiente Projetado Para Depositar Outro Signo. E não tem nenhuma música que se destaque tanto assim nesse disco, só a baladinha "Release of Life". E a música "Arising Aurora Thunder Attack".

Secret Garden (So secret that he doesn't appear in this cover) (2014)
E Edu Falaschi e Aquiles Priester acabaram saindo da banda. Outro renascimento pro Angra? Certamente. Mas essa reformulação não foi tão traumática pros fãs, nem tão explosiva na mídia. Claro que houve uma repercussão, mas na certa, já tá todo mundo acostumado com esses troca-troca de integrantes que acontecem toda hora. E pra substituir Edu, colocaram Fabio Lione no vocal, veterano da banda Rapsódia Fogosa, e também um moleque na bateria. Agora os fãs já podem brigar pra decidir qual vocalista preferem, a japinha, a loira, ou a europeia. O álbum conta com as participações de Doro Peste na canção "Crush's Room" e Simone Simaria, vocalista do Epica, na faixa-título.

E isto é tudo, pessoal! Vida longa a este titã do Metal nacional, e vamos continuar acompanhando o Angra por meio do Megadeth, do Eternal Idol, do Vision Divine, do Bittencourt Project, do One Arm Away, e também acompanhar os ex-integrantes da banda pelo Almah, pelo Hangar, pelo Noturnall... Que bom que não tem só o Angra pra acompanhar, né!

2 orações:

Anônimo disse...

kkkkkkkkkk

Lara Milena disse...

Rapsódia Fogosa kkkkkk

Postar um comentário