quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Preguiça

Nem todos os rockeiros tem orgulho de pertencerem a uma raça superior só por causa do seu gosto musical. Nem todos os rockeiros tem gula por consumir mais discos, mais camisetas de banda, mais shows, mais etc do que conseguem aguentar. Nem todos tem ira de funkeiros. Nem todos tem inveja das camisetas de banda que os mendigos usam. Nem todos tem a avareza de ser mais apegados aos seus bens rockeiros do que aos seus companheiros. Nem todos tem luxúria (alguns chegam até a condenar qualquer coisa relacionada a sexo). Mas o pecado capital da preguiça, todos os rockeiros tem.

A preguiça é universal, é inevitável, é até querida pelos rockeiros, porque ela nos deixa cômodos, nos deixa na nossa zona de conforto, nos deixa estagnados e num estado de letargia muito agradável. Todo rockeiro ama preguiça, porque todo mundo ama preguiça. E esse artigo vai mostrar várias situações do cotidiano onde nossa preguiça aflora e que você vai pensar "noooooffa, tão eu".

Primeiro é preciso dizer que rockeiros não são preguiçosos o tempo todo. Eles não tem preguiça de ficar ficar em pé por horas seguidas e ser amassado por uma multidão pra ver o show da sua banda querida. E não se importam em gritar, pular, moshar e jogar os punhos ao alto o tempo todo. Rockeiro também não tem preguiça de comentar, falar, discursar, e até palestrar sobre a banda que descobriu há pouco tempo e que o deixou perdidamente apaixonado - os outros que tem preguiça de ouvi-lo! Porque rockeiro que acaba de descobrir uma banda nova fica insuportável. O rockeiro também não tem preguiça de andar no sol com roupa preta, de reclamar da sociedade lixosa, de ouvir o álbum que ama mais de mil vezes por dia, de ler esse blog (até parece)... Enfim, rockeiro não tem preguiça de fazer coisas que são realmente do seu interesse e que realmente o empolgam. Mas tem outras coisas que o fazem mais relaxado que Jaiminho, The Carteiro.

Sabe quando indicam uma banda nova pra gente ouvir? Nós sempre dizemos "Ah, quando eu tiver um tempinho, eu dou uma olhada", mas o que deveríamos falar de verdade é "Ah, quando eu tiver vontade...". Porque a gente até quer ouvir essa indicação e deixar nosso coleguinha feliz, mas não o fazemos por dois motivos: porque temos preguiça, e porque já temos dezenas de outras bandas e álbuns pendentes pra ouvir, que não ouvimos antes por causa de... preguiça.

Mas um dia, nós nos enchemos de disposição e finalmente ouvimos essa indicação. E pra alegria do nosso coleguinha, acabamos gostando, nos interessando mais, e vamos lá procurar mais material dela pra baixar... Ops, eu disse "vamos procurar"? "Vamos" coisa nenhuma! Nossa preguiça nos impede de fazer isso.

Mas pro bem dessa narrativa, vamos supor que não somos preguiçosos nessa parte. Então nós vamos SIM procurar mais material dessa banda, e acabamos descobrindo que não é tão fácil assim achar conteúdo dela, que o site de download que sempre visitamos não tem material dela, que temos que fuçar mais no google pra encontrá-la... Aí o que pensamos? "Ah, depois eu vejo isso". E graças à preguiça e ao "deixa pra depois", nós largamos a banda pra lá e nos esquecemos da sua existência.

Com sorte, muito tempo depois, lembramos "daquela banda lá que me indicaram...", e num dia de disposição em que estamos com a corda toda (iiiiirrááá), nós finalmente achamos mais sobre a banda, e até baixamos mais álbuns dela.

Nesse momento, nos deparamos com a seguinte constatação: "Preciso liberar espaço no pc/celular, senão não vai caber mais bandas pra ouvir... Mas depois eu faço isso". Porque... né? Isso dá trabalho!

Entretanto, chega o fatídico dia em que não dá mais pra adiar a limpa no pc/celular. Ele já está quase vomitando bytes pela orelha de tanto que está entupido. "Chegou a hora", você pensa. Tem tanta coisa pra eliminar que você nem sabe por onde começar. Tem aquela banda que te indicaram há um ano atrás, tem aquela que você baixou a discografia e nunca ouviu, tem aquela também que você ficou de ouvir e adiou... tem tantas bandas, tantos álbuns... mas você vai ter que excluir algum. Você sabe disso. Esta é sua missão. E você não pode falhar.

"Não, depois eu faço isso com mais calma". E mais uma vez, a preguiça ataca.

No dia seguinte, acontece outro problema que nos impulsiona a cumprir nossa missão, sem enrolação dessa vez. E é com uma dor lacerante no coração que eliminamos aquela discografia daquela banda que a gente não se importava nem um pouco, mas que no futuro, com certeza absoluta, nós íamos ouvir. Algum dia. Alguma vez na vida. Talvez. Mas íamos!

Um minuto de silêncio por este autor ter excluído metade da discografia do Black Label Society do seu PC.

Com o espaço livre, podemos finalmente baixar material da banda que indicaram. Aí... surpresa! Mais um problema acontece! Percebemos que as faixas dos álbuns estão com o endereço do site de download nas suas tags. Mas depois a gente edita essas tags, né? Agora vamos nos concentrar em ouvir aqueles discos que deveríamos ter ouvido antes, pra ver se aparece algum que não gostamos, pra podermos excluí-los sem culpa. Assim vamos ter mais espaço livre pra baixar mais álbuns que só vamos ouvir algum dia!!!


Conhecer e ouvir bandas novas é um martírio pra algumas pessoas. E ir pra show de bandas novas, então? Ih, piorou! Um dia, seu coleguinha mostra o banner de um festival de bandas independentes e te convida. Esse festival vai acontecer daqui a duas semanas, ou seja, tem muito tempo pra você se preparar mentalmente pra ir e deixar a preguiça de lado... Mas em vez disso, você já está preparando a desculpa para não ir.

A desculpa mais convincente a ser usada é a famosa "Não gosto de ir em shows de bandas que não conheço, gosto de conhecê-las antes pra poder curtir o show de verdade". Com essa desculpa infalível, você se compromete a pesquisar sobre as bandas, mas aí você nem pesquisa. Nem chega a lembrar que esse festival existe. Depois você não vai no bendito festival e fica com remorso por não apoiar a cena, por não apoiar bandas novas que precisam de público e por decepcionar Edu Falaschi.

Os músicos amadores também sofrem. Se eles não mantiverem uma rotina pra treinar, se não tiverem disciplina e responsabilidade, acabam perdendo o gás e largando seu instrumento no canto do quarto pra pegar mofo. A preguiça é tanta que até pra limpar o instrumento é difícil, porque se a pessoa lembra de limpar o instrumento, ela lembra de que tem que tocar o instrumento! E por isso, a pessoa tende a evitá-lo.

Aí tem que limpar as cordas, afinar de novo, calejar os dedos de novo... ai que saco...

Falando nisso, outra coisa que dá preguiça é procurar as cifras das músicas que queremos. Mas pra compensar, quando estamos inspirados, baixamos uma cifra atrás da outra. E depois temos preguiça de ir na xerox e imprimir todas elas.

E a preguiça de achar nossa palheta preferida perdida? Vish...

Também dá preguiça de levar nosso violão pra escola. A gente sempre encarna a MC Melody e diz que qualquer dia desses, vai mostrar cultura pra esse povo herege da escola e tocar uns rock doidão, mas a disposição pra levar o maldito violão pra escola nunca aparece.

Enfim, este autor já falou a palavra preguiça demais por um post. E como ele está com preguiça de fazer aquelas conclusões super filosóficas e elaboradas, este autor faz uma pergunta pra você. É você mesmo aí. Que situações envolvendo o Rock que mais te dão preguiça? Comente aí, e fique com esta música que provavelmente você não vai ouvir, por causa da... dela.

3 orações:

Dhanylo disse...

Hahahahaha, eu nem ia ouvir a música mas essa última frase acabou me intimando.

Anônimo disse...

Eu tenho preguiça de ler os artigos do profeta rocker!

Matheus Nunes-'- disse...

exatamentthi

Postar um comentário