quarta-feira, 16 de setembro de 2015

O underground

Outra criatura que compõe a opulenta fauna rockeira é o Underground. Este exemplar de ser humano se dedica a pesquisar e conhecer os terrenos mais longínquos e incógnitos do Rock e Metal, a fim de conhecer bandas que pouca gente (ou ninguém) conhece.

O Underground é, em sua essência, um explorador. É um curioso, um desbravador, um Indiana Jones da Música, sempre em busca de aventuras para descobrir tesouros perdidos. É justamente esse amor pela aventura, pesquisa e investigação que motiva o Underground a ser o que é, um navegador dos sete mares, um viajante sem destino, um nômade incansável, enfim, um cara que tem muito tempo para ficar fuçando blogs de download.

Naturalmente, a maioria não entende esses motivos e vontades do Underground. A maioria não tem o mesmo interesse, nem mesmo vontade, muito menos disposição para ter e buscar tão amplo conhecimento acerca de coisas desconhecidas. Muitos até chegam a considerar isso uma espécie de "cultura inútil". Mas esse desinteresse da maioria acaba motivando mais ainda o Underground a ser underground, porque se ele não existisse, quem mais resgataria tantas bandas do limbo do desconhecimento? Quem mais daria audiência aos blogs de download? Quem mais indicaria bandas que ninguém está interessado? Quem? Quem? É por causa da rejeição dos demais que o Underground se torna o que é, não apenas por hobbie, mas por responsabilidade! Responsabilidade para com aquela banda de Rock Progressivo dos anos 70 que já morreu há tempos. Responsabilidade para com aquela banda de proto-Heavy Metal dos anos 70 sueca que lançou um EP e depois morreu. Responsabilidade para com aquela banda que só tem três musiquinhas lançadas na década de 90 e cujos integrantes viraram jardineiro, limpador de vidraças, operador de caixa no supermercado e auxiliar de servente de ajudante de estagiário de pedreiro. Sim, meus amigos não-underground: sua rejeição é que o torna mais forte.

Naturalmente, nem todas as pessoas são iguais, e o mesmo se aplica ao Underground. Existem várias áreas onde os undergrounds podem se especializar:

Rock Progressivo
Pink Floyd, Rush, Uriah Heep, Emerson Lake & Palmer e Yes é pros mainstream! O Underground especializado no Rock Progressivo ouve GenesisJethro Tull, Gentle Giant, Transatlantic, Primus, Focus, King Crimson, Aphrodite's Child, Porcupine Tree, Marillion, Renaissance, Traffic, Tangerine Dream, StarcastleCaptain Beefheart, Caravan, Van Der Graaf Generator, National HealthGryphon, Vangelis, Gong, Can, 3, e outras bandas que Mike Portnoy já tenha tocado. E é por conhecer tantas bandas bizarras que tem músicas que não terminam nunca, que o Underground especializado no Progressivo é sempre um tiozão de pança cheia que vai a shows de Rock para curtir o som ao invés de bater cabeça, além de ser um frequentador assíduo de sebos e lojas especializadas de CDs de Rock e ter uma vasta coleção de LPs. Você já ouviu falar nisso, né? São aqueles CDs gingantes e pretos.

Vocês que são mainstream só conseguem enxergar os discos do Pink Floyd nessa imagem.

Hard Rock / AOR
Especializando-se no Hard Rock dos anos 80 para frente e sempre ligado nos lançamentos da Frontiers Records, o Underground conhece bandas muito além de Whitesnake e Scorpions, como Tuff, Mr. Big, Krokus, Ratt, Danger DangerBlue Öyster Cult, Grand Funk Railroad, WingerThe Cult, Foghat, Cheap Trick, FireHouse, Dokken, The Guess Who, Great White, The Poodles, Pink Cream 69, L.A. Guns, JackylHawkwind, House of Lords, HardlineHeart, Status Quo, TNT, UFO, Y&T, Styx, e outras que com sorte, ainda aparecem como trilha sonora de Sobrenatural. O underground também se especializa quase paralelamente no AOR, conhecendo Jeff Scott Soto, Stan Meissner, Mark Free, Paul LaineH.E.A.T., W.E.T., Dare, Atlantic, Shy, Magnum, Talisman, TykettoLoverboy, Boulevard, Le Roux, Tommy Shaw, Aldo Nova, Stage Dolls, Alias, entre outras que você se pergunta: "como esse cara conhece essas bandas???"

"Nem quem viveu a época conhece esses bandas!", você pensa.

Heavy Metal
Especializando-se no Heavy Metal da década de 80 pra frente - que foram ignoradas graças a bandas grandes como Iron Maiden e Judas Priest, o Underground ouve AnvilArmored SaintRunning WildCeltic Frost, Racer X, Crimson Glory, Lizzy Borden, The Sword, Raven, Metal Church, Kyuss, Tygers of Pan Tang, Keel, Riot, Savatage, Demon, Diamond Head, Grim Reaper, Znowhite, Pentagram, Ugly Kid Joe, Steeler, Tank, Virgin Steele, Tokyo Blade, Metalmorphose, Bitch, Rage, Darxon, Kix, Angel Dust, TyrantAngel Witch, A II Z, Thor, e outras que este autor não conseguiu encontrar, porque ainda falta muito pra ele ser um Underground tr00.

"Aff, que imagem mainstream", diz o Underground.

Metal Extremo 
É relativamente fácil encontrar um Underground especializado na área do Metal Extremo e conhecedor dos Post-Sludge-Dark-Avant-Garde-Funeral-Grind-Crust-Ambient-Depressive-Suicide-Technical-Atmospheric-Brutal Death Black Metal. Ele ri mentalmente daqueles que ouvem Behemoth, Nargaroth, Gorgoroth e Overoth (puxa, quantos "oth"s) e acham que são os undergrounds do Metal Extremo. Enquanto isso, o Underground tá ouvindo Apokalyptic Raids, The Kennedy Veil, Fallujah, Coldbound, The Putrefying, Deleterious, Skineater, Lurker of Chalice, Abnormal Inhumane, Enmity, KAT, Huldrefolk, Terror Mosh, Skinless, Asphyx, Nyktalgia, In Vain, Demonic Resurrection, Bethlehem, Arkuum, Myrkskog, Grave Desecrator, Cruel Force, Veld, Vitam Et Mortem, Verminous, Verjnuarmu, Tacit Fury, Aetherius Obscuritas, Gardenian, Sargeist, Emptiness of Existence, Kälter, In Mortis Veritas, Aydra, Illnath, Craniotomy, I'm In a Coffin, Amazarak, Fukpig, Xasthur, Paths of Possession, Crucifyter, Pathogenesis, Ghost Bath, Korgonthurus, Ajattara, Gris, Dire Necro Cerberus, Anguished, Brokdar, Nekrogoblikon, Faded, Disillusion, Negator, Skeletal Remains, Azaghal, My Darkest Fury, Colosseum, Nervochaos, Thergothon, Anomalie, Cadaverizer, Skull Fist, Beheaded, Extermination Dismemberment, Yacopsae, Fight the Demiurge... entre outras bandas preto e branco que tem logotipos incompreensíveis.

Hardcore
Como o Hardcore sempre foi essencialmente underground, o Underground especializado nas bandas Punk / Hardcore / Crossover Thrash ouve bandas que até mesmo ele duvida que existem! Por causa disso, este autor nem pode listar nenhuma banda underground.


"Garotos Podres? Que mainstream...", dispara o Underground.

Gothic
Apesar de cair no erro de que Gothic Metal existe, o Underground que se especializa nessa área ouve bandas de Doom-Gothic-Post-Ambient-Atmospheric-Stoner Metal. Infelizmente, este autor também não pode citar as bandas que esses Undergrounds ouvem, porque eles são muito fechados em seus mundinhos, e por isso, se tornam inacessíveis para nós, meros ignorantes mainstream. Alguns inclusive adentram tão profundamente nos abismos densos e fúnebres do Gothic que se perdem lá para sempre. Em outras palavras, se matam de depressão.


"Banda de Doom Metal que tem clipe? Clipe bem feito, inclusive? Aff, que mainstream..."

E por ter um conhecimento tão vasto sobre bandas, seus amigos e conhecidos consideram o Underground uma grande enciclopédia rockeira ambulante. Isso o faz, de certa forma, orgulhoso e com o ego ereto. Mas isso também lhe atrai certos problemas na hora de conversar com os outros.

- Você tá ouvindo o quê ultimamente?
- Ah, uma banda que... bom, nem adianta falar, porque você não vai conhecer.
- Mas fala assim mesmo...
- Eu tô ouvindo essa banda que eu descobri naquele site que eu te mandei outro dia, que eu acho que você nem viu...
- É, não vi mesmo. Eu tô sem tempo ultimamente, sabe...
- Sei. Então, eu baixei um CD de uma banda chamada Chosen, que é irlandesa e toca Technical Death Metal, mas que puxa um pouco pro Melodic, mas tem influências de Progressivo e...
- ROOOOOOOOOOOONC

O Underground está sempre tentando passar o seu conhecimento à frente, mas algumas vezes (na maioria das vezes), os outros não estão interessados em seus sites preferidos, nem nas bandas e músicas que divulga nas suas redes sociais, nem nos seus links de blogs e sites divulgadores, nem nas suas listas de "bandas injustiçadas", etc.


"Ouve essa banda aqui, é uma das mais injustiçadas do Brasil!"

Contudo, alguns Undergrounds percebem que seu empenho em divulgar o underground é muitas vezes em vão, e por isso, decidem tomar uma atitude extremamente oposta: a de não compartilhar seu conhecimento com ninguém! Assim, ele passa a se vangloriar de ter o monopólio da sabedoria, passa a olhar todos os humanos de cima, e encará-los como vermes rastejantes desprezíveis e inúteis. E é assim que o indivíduo adquire a grave doença da Síndrome de Underground. Contagiado com esta Síndrome auto-destrutiva, o indivíduo se torna um chato pedante metido a intelectual. As únicas formas deste doente ser curado é 1) receber um tapa na cara certeiro de alguém com bom-senso, ou 2) alguém se importar com a cultura inútil que ele possui. E ambas as curas são difíceis, pois 1) os doentes desta Síndrome são metidos demais pra reconhecerem que são babacas, e 2) ninguém se importa com eles ou com as coisas que ele sabe.

Assim como o Otimista, todos nós, rockeiros, temos um pouquinho de Underground. Afinal, nós nos especializamos no Rock/Metal, nas nossas bandas, nos nossos estilos, enquanto outros rockeiros se especializam em outros. Assim, cada rockeiro onhece o underground de uma cena específica, um estilo específico, um país específico, etc. Mas é preciso ter cuidado quando esse espírito baixa na gente, pois podemos acabar tendo ciúme musical e Síndrome de Underground. Então, se você ficou bravo por ver tantas bandas underground sendo citadas nesse post, cuidado!

E como este autor não tem mais nada pra falar, adeusmetal

0 orações:

Postar um comentário