quinta-feira, 9 de julho de 2015

(+18) Capas obscenas do Rock

Este autor já falou em alguns artigos que o Rock não é bonzinho, nem puro e nem casto. Muito pelo contrário, ele é muito safadinho! Não era à toa que seu lema era "sexo, drogas e rock and roll". Inclusive, depois que os artistas envelheceram, todos resolveram esquecer esse lema besta e... retiraram a parte das drogas, mantendo o resto do lema.

O problema é que esta nova geração rockeira que está aí, parece não saber disso, parece não estar ciente das suas origens, e o pior, fazem de tudo para se mostrarem como "jovens cristãos salvaguardadores da moralidade e superioridade intelectual" e falando que o Rock não é sujo e promíscuo como os outros estilos musicais. Querem transformar o Rock em algo que ele não é: certinho, politicamente correto, moralista, tudo que o Rock nunca quis ser!

Esta Bíblia já falou sobre estes novos rockeiros (com mentalidade velha) e vai continuar se engajando nessa causa de lembrar aos discípulos e seguidores do que o Rock é realmente feito, para que seu Espírito se mantenha vivo e que ele atravesse os ânus anos como o estilo musical contestador que quebra tradições e tabus.

Mas mostrar que o Rock não é santinho é uma tarefa difícil. Podemos ver as letras das músicas, a vida pessoal dos rocksrtas e outras provas, mas este artigo se dedicará a mostrar as capas de disco do estilo! Dizem que só as capas de coletâneas de Funk, Forró ou Axé são apelativas, mas capas de Rock também conseguem a proeza de mostrar uma mulher gostosa com roupa curta e coladinha, ou até mostrar umas mulhé de biquíni meladas em mel, ou uma mulher pelada e sentada numa cobra gigante... e até mostrar uma criança pelada! E não, não é da capa de "Nevermind" que este autor está falando.

Você já deve ter percebido que é de sua inteira responsabilidade continuar lendo o artigo, e que ele é recomendável para maiores de 18 anos. Então tranque a porta do quarto e divirta-se.


01. Insinuantes
Aqui este autor vai reunir algumas capas de duplo sentido ou com significado que remete a coisas sexuais.

"Love Is For Suckers" do Twisted Sister não tem nada demais, exceto pelos lábios vermelhos femininos que costumam ser erotizados. Podemos contar também o título que diz que amor é pra perdedores, o que resulta num disco odiado na sua época. Já o "Split Your Lip" do Hardcore Superstar é explícito em seu sinal de praticar cunilíngua.

De início essa capa do Ratt não tem nada demais, parece até uma cena de filme. Mas tendo em mente o título "Invasion of Your Privacy" e vendo a cena, parece que você é o Bandido da Luz Vermelha invadindo uma casa que, olhem só, tem uma mulher em trajes íntimos.

Ted Nugent mostra uma mulher sentada, cansada e toda suada de perna aberta. O título é o melhor de tudo: "If You Can't Lick 'Em... Lick 'Em". Se tu pode lamber, lambe!

"Celebrity Skin" do Hole também não tem nada demais, se não considerarmos que Courtney Love está sem sutiã e de farol aceso. Você também pode considerar o detalhe da banda se chamar BURACO e deixar essa capa mais obscena.

Aqui temos Lizzy Borden com "Love You To Pieces" e "Too Hot For Love" do Fisc, onde as mulheres já estão te esperando na cama, uma de lingerie e outra sem a parte de baixo.

Aqui o Bon Jovi mostrou ser um mau jovem. Esta capa é até leve comparada com o que vem pela frente, mas acabou sendo censurada na época.

E continuando a ver mulheres de quatro sem a parte de baixo da roupa, temos Legs Diamond com "Town Bad Girl". Só fico me perguntando se ela tirou sua calça enquanto as botas (com esporas) ainda estavam calçadas, ou se ela botou as botas depois de tirar a calça mesmo. Mistéééério.

Aqui o Rage deixa de lado a insinuação e mostra logo duas chicas se querendo. O melhor é o título do álbum, "Nice 'n' Dirty".

E pra terminar esta categoria, temos a capa do Plasmatics que é bem conceitual... mas com a vocalista Wendy O. Williams cobrindo os mamilos apenas com fitinhas.


02. Busto
Aqui serão reunidas as capas que não tem nada mais que um belo close em melões.

Já começamos bem com a banda Bitch e seu EP "Damnation Alley"!

Sim, "Dona do Bordel" é brasileiro! É um EP da banda Lion Heart, que só tem cinco musiquinhas, mas um par de tetas que parecem ser da tal Dona do Bordel.

"Welcome Tonite" do Railway mostra uma mulher com top, sem sutiã, de farol aceso e molhada. Tá bom ou quer mais? Se quiser, tem "Bustin Out" do Big Guns.


Mais uma capa brasileira, desta vez do Motorocker e seu "Rock Na Veia" que mostra uma Tatuagem No Busto. E essa tatuagem é de verdade, olha aí a mulher que tirou a foto.

Taí uma dica pras modelos do Suicide Girls: façam como a mulher do "Thrill Me" do Fire e façam do headphone um cobridor de seios. Vão fetichizar o headphone!

"Lay Down The Law" do Keel é literalmente transgressor, quase como aquela velha charge de passar a mão na bunda do guarda pra desafiar a autoridade. Nesse caso, o preso está bulinando a policial e "laying down the law", ou "estabelecendo a lei".

E nessa capa do Hardbone, vemos... isso aí.


03. Nádegas
E aqui estão todas as bundas que você achou que nunca veria no Rock, só em coletâneas de Axé e Funk:


"Excess Al Areas" do Hollywood Burnouts e "First Blow" do Slippery parecem até capas gêmeas, tiradas em posições diferentes.

"Touch of Sin" do Sinner é literalmente um pecado, enquanto "Pride" do Pride é um orgulho, um pecado capital. As duas capas se combinam.

Pra quem estava esperando uma capa que lembrasse as bundas estampadas das panicats em revistas masculinas, aqui está o CD ao vivo "British Invasion" do Steel Panther, a banda conhecida por incentivar as fãs a mostrarem os seios nos seus shows.


Temos aqui duas capas mais ousadas na hora de mostrar as nádegas das modelos das capas, o Mass e o Bloodwritten.

O Blood God conseguiu ser mais "ofensivo" do que todas as capas de Funk juntas com três coisas: um close numa bunda arrebitada, uma lingerie cavadinha e um dedo do meio. O melhor é o título: "No Brain But Balls", ou seja, "sem cérebro, só bolas". Isso sim é pensar com a cabeça de baixo.


04. Arte
Não, nenhum hentai será exibido. Somente artes.

Esta capa do Burzum é a capa mais artística desta lista inteira. Linda, né? Pena o álbum não ser tão lindo assim.

Este autor não sabe se esta imagem da Joan Jett and The Blackhearts foi pintada à mão, ou se teve um efeito de photoshop pra ela parecer pincelada. De qualquer forma, taí.

E se você comesse uma mulher e panquecas ao mesmo tempo? "Hot Cakes" do The Darkness dá uma ideia de como isso seria. Também há fotos de como essa pintura foi feita, confere aí que é bem legal.

Duas chicas com peitos de fora, uma só de cobertor em "This Is Not America" do The Unripes e outra sem a parte de cima da lingerie em "?Eres Adicto?" do Sexaine.

Esta lista não ficaria completa sem Mamonas Assassinas! Enquanto isso, o single do Airbourne mostra uma mulher que não é remelenta nem estronchada.

"Ah, senta na minha cobra". Aposto que foi isso que o Whitesnake disse pro desenhista dessa capa. Aí ele desenhou... exatamente isso! Bom, talvez não tenha sido bem isso, mas o fato de ter uma mulher pelada sentada numa cobra é que tornou o álbum "Lovehunter" bem conhecido, e bem zoado.

Este é The Gary Moore Band. Este álbum é "Grinding Stone". E esta é uma mulher segurando uma tocha que ficou assustada vendo a outra se acariciando.

E o Black Sabbath polemizou bastante com esta capa na época, por mostrar isso aí que você está vendo: uma orgia confusa demoníaca-ocultista-satanista da Xuxa, ou algo assim. É até difícil saber o sexo das criaturas dessa imagem.

Já aqui, o Kamelot mostra simplesmente nudez feminina, sendo "sexy sem ser vulgar", ou nem sendo sexy. Talvez só... natural.

E talvez possa-se dizer o mesmo desta capa do Therion. Ou não, depende da pessoa que está vendo.

E dependendo da pessoa que está vendo, esta capa do Belphegor pode nem ser considerada ofensiva ou forte. Mas pra outras pessoas, ela já pegou pesado.

Aliás, o que é mais pesado? Groupies falsas beatas de satanás, ou essa capa do Guns N' Roses que mostra uma mulher acabada de ser estuprada por um robô que é surpreendido por... Que que é esse bicho vermelho??? Enfim, melhor não pensar muito sobre isso.


05. Corpo
Aqui as coisas esquentam mais. Algumas capas poderão ser consideradas "artísticas" e outras "inapropriadas" ou "desnecessárias", mas esse tipo de relativismo nos cega pra um único fato: há nudez, há pele aparecendo, há peitos, bundas, vaginas e o corpo da mulher sendo explorado.

E já começamos bem com The Cramps, mostrando a guitarrista da banda chamada Poison Ivy, uma das mais importantes mulheres no Rock.

Não, E.C. não quer dizer Evaristo Costa. É Eric Clapton mesmo. Enquanto isso, o Hurricane mostra uma fêmea toda a vontade numa espécia de máquina.

"Live & Rare" do Quiet Riot e "Vertical Smile" do Strip No Altar mostram mulheres semi-nuas. E você pode dar um google pra conferir mais capas do Strip nesse "estilo".

Vain amarra uma mulher em "Enough Rope" enquanto a dama nua de "Calm Before The Storm 2" do Dare caminha livre pelo mar de photoshop.

Simone Simons do Epica posa por vontade própria para a capa de "The Divine Conspiracy", enquanto o guitarrista Charly Sahona mostra uma mulher qualquer na sua capa

Olha o Sinner aí de novo, com "Touch of Sin 2" pra continuar pecando. E temos também uma caronista pelada na capa de "The Pros And Cons of Hitch Hicking" de Roger Waters.

E pra terminar esta categoria, temos a banda Veludo Branco mostrando garota no estilo pin-up na sua capa.


06. Nudez
Porque sempre dá pra mostrar mais pele! Agora as coisas vão ficar cada vez mais inapropriadas. Se bem que, pra você que já viu groupies de satanás, o resto é fácil de lidar.


Essa capa você com certeza já conhece! Na verdade o Roxy Music deve ser conhecido só por causa dela. "Country Life" trouxe as modelos Constanze Karoli e Eveline Grunwald para posarem pra capa e pra perderem seu tempo, pois o disco foi censurado logo depois de lançado. Depois a banda continuou a vendê-lo com a capa modificada, retirando as modelos e mostrando apenas o matagal. Coisa sem-graça, não? Abaixo, fotos do making-of:

"Electric Ladyland" do Jimi Hendrix Experience é um clássico, conhecido tanto por suas músicas quanto por esta capa, que foi censurada e trocada posteriormente por um rosto genérico de Jimi cantando. Abaixo a imagem completa:

Agora vamos a esta capa do Scorpions, que é conhecido por fazer capaz excêntricas (e coisas piores, que você verá no fim deste post). Esta capa, pelo menos, tem um conceito interessante.

Essa lista ficaria incompleta sem o Manowar! A banda é conhecida por encarnar bem o estereótipo de bárbaro viking conquistador que mata geral com sua espada e transa com donzelas gostosas, e foi em "Gods of War" que elas ficaram com os peitos de fora. Já "Time and A Word" do Yes nem é tão ofensivo ou impactante, mas na época a banda foi obrigada a trocar de capa por uma que não fosse... assim.

Qual capa é mais legal? Essa do Sodom com uma mulher barriguda e um gestante, ou essa do Lobão como padre, com uma santa pecadora?

Enquanto o Whitesnake fez uma mulher sentar numa cobra literalmente, o Great White pescou uma sereia em "Hooked". E "Back in Blood" do Debauchery não é o único lugar em que uma mulher pelada e besuntada em sangue aparece, pois é outra banda que vocês podem pesquisar e encontrar mais putaria. E vão encontrar muito sangue como bônus.

"Beyond The Veil" do Tristania mostra umas mulhé pelada caída por algum motivo enquanto a única em pé louva aos céus. E a mulher do "Below The Belt" do Boxer toma um soco bem nas partes íntimas. E eu não tô entendendo é nada, visse.

Esta é "Heaven or Hollywood" da banda Uncle Sam. Você percebe que a banda é apelativa quando nem o nome dela é mostrado na própria capa.

"We Only Came To Get High" é da banda de Punk e viciada em sexo Dwarves, que assim como o Debauchery, sempre mostra mulheres nuas em suas imagens promocionais. Neste álbum a modelo está sozinha, mas nas outras, está acompanhada de outras meninas peladas e até de um anão, também pelado. Só vendo pra acreditar.


E você pensando que aquelas imagens de mulher pelada com guitarra só tinham no Google! A banda X-Ray fez com seu "Tradition Breaker" a coisa mais óbvia e polêmica que uma banda de Rock poderia fazer: botar uma mulher nua com uma guitarra e "Quebrar Tradições".

E pra terminar esta categoria...
... "Two Virgins" de John Lennon para dar aquela broxada.


07. Sexô!
(leia com a entonação daquela música do Ultraje à Rigor, por favor)
É, a Putaria™ não tem limites! Agora vamos ver capas com relações sexuais, ou coisas parecidas com isso.

"Love at First Sting" foi uma capa polêmica pra época, mas ainda não foi desta vez que a banda passou dos limites! Enquanto isso, o UFO mostrou duas mulheres se pegando na banheira. Eu disse "mostrou" porque a capa foi censurada pouco depois.

"Sexual Carnage" do Sextrash e "Reverend Bizarre" do Electric Wizard parecem mostrar uma espécie de ritual sexual satanista pra invocar os espíritos do além... ou sei lá.

Aqui, o Savage Grace mostrou como é cara-de-pau. Sua primeira capa (à esquerda) foi censurada por causa da mulher estar em estado de vulnerabilidade total por causa de um policial. Depois da censura, a banda veio com a capa variante e mostra o policial "apenas" prendendo a mulher, que continua pelada. Legal, né? Só escondeu os mamilos, mas o teor continuou o mesmo!

E falando em sair da conduta, Witchfinder General mostra algo que nãos abemos definir bem o que é. Pelo nome da banda e do álbum, parece que vão estuprar a bruxa antes de queimá-la na fogueira.

E essa capa do Pantera que tem uma pessoa levando ferro, literalmente?


08. Aí já é vandalismo
Essa é a última sessão, prometo! Ela será destinada a falar das capas que passaram do limite do bom-senso para a sociedade e foram censuradas. Apesar de várias capas desta lista já terem sido censuradas, estas abaixo foram as que mais causaram comoção.

"Amorica" do Black Crowes foi censurado por mostrar algo mais polêmico que mamilos: pelos pubianos femininos. E "Blind Faith" do Blind Faith (quanta criatividade!) foi censurada por mostrar essa ninfeta de topless que pra completar, está segurando um avião de brinquedo que tem o bico parecendo um falo.

Foi aqui que o Scorpions foi censurado, e nem precisa dizer porque. A banda que já tem histórico de capas ruins se superou com "Virgin Killer", que impressionou pelo mau-gosto e foi censurado. Depois a banda voltou a vender o disco com duas capas variantes.

E a lista termina com "Frankenchrist" do Dead Kennedys, que usou a pintura do artista suíço H. R. Giger chamada "Landscape #XX" na sua capa e... foi censurado.

***
Ufa, foram 80 capas! E esta lista não teve nenhum homem sensualizando ou tendo sua imagem explorada, pois como todos sabem, só exploram a imagem da mulher. Raramente tem uma capa que agrade um tantinho as mulheres...



Que porra é essa, W.A.S.P.?

E um parêntese: este autor não colocou aquelas capas de Metal Extremo-Porngrind-Splatter-Gore-Blábláblá porque isso é chover no molhado. Enfim, muito sexo, drogas e rock and roll pra vocês e adeusmetal.

3 orações:

Anônimo disse...

Faltou ao do Lovedrive, do Scorpions.

Renan Lima disse...

Essa capa é mais nonsense do que erótica ou obscena...
E já botei 3 capas do Scorpions no artigo, já chega de Scorpions rs

Leonardo Leite disse...

Fazendo tcc sobre as censuradas do Scorpions... Teve a Lovedrive e Savage Amusement ainda por "pornô" e Taken By Force, por uma "provavel" incitação à uma guerra lá que ofendeu Joãozinho e que talvez sejam crianças com armas no cemitério, enfim... Amo muito Scorpions, sempre foda, mas realmente, Virgin Killer, deram um espaço grande pra censura

Postar um comentário