quarta-feira, 17 de junho de 2015

Imagem estragada

Passar uma boa impressão para o público é a primeira coisa que os criadores de conteúdo ou de produtos devem pensar. Por exemplo, se você tem uma empresa de refrigerantes que investe num marketing terrível, e que ainda por cima cria um mascotinho tosco que parece debochar da própria marca, a sua reputação e a sua imagem ficará estragada, e será bem difícil repará-la.

E no que interessa a este site, o Rock sempre teve uma imagem suja, uma má fama que o persegue até hoje. Isso começou desde seu nascimento, desde bebezinho, ele nasceu pra "causar" e ser mal-visto pelo público, que na época era composto por pessoas tradicionalistas e conservadoras. Eles eram um bloco de cristãos "de bem" que prezavam pela moral e os bons costumes, que odiavam o Rock por diversos motivos:





Por causa de bandas, artistas e fãs usando, defendendo ou fazendo apologia às drogas (bebidas alcoolicas com cigarro de aperitivo, e LSD com heroína de sobremesa)...





Por causa da constante presença do Sexo no estilo musical, um tema que sempre foi tabu na sociedade, e que acabou sendo um assunto normatizado no Rock, presente tanto nas suas letras quanto na vida sexual dos artistas (e dos seus fãs)...




Por causa das frequentes confusões com as autoridades que os rockstars arrumavam, por variados motivos...




Por causa das ideias e atitudes dos rockstars que chocavam ou causavam desconforto nos conservadores, tais como a saída do armário de certos artistas, a defesa da anarquia no Reino Unido por um certo movimento...




Por causa das frequentes associações do Rock ao Satanismo, surgidas pela propaganda negativa que as igrejas protestantes da época faziam, ou pelos próprios rockeiros que contribuíam com essa imagem...











E por causa de outros motivos que este autor esqueceu quais são. Mas os principais estão aí.

MAS tudo isso é passado. O Rock verdadeiro começou a decair em popularidade na década de 90, quando a mídia o substituiu por um rock industrializado, comercial, assimilável, "alternativo", "moderno" e pop, um rock que não tinha uma veia constatadora, e que queria somente vender discos. E com isso, a má fama que o Rock tinha foi perdendo a força junto com o próprio Rock.

Hoje em dia, ele só tem imagem ruim pra antiga geração que nunca foi chegada nesses roque pauleira aí, que nunca gostou desses metaleiro doidão que anda em cemitério, que ouve música ao contrário, que não vai pra igreja... ou seja, praqueles adultos ou idosos ignorantes como a sua vó, ou como os seus vizinhos e vizinhas, que dizem que vão orar por você "sair dessa vida" e pra você não ir pro Inferno.

Apesar da antiga geração ainda associar o Rock como uma música do demônio em que os artistas fazem pacto com o diabo e outras lendas do gênero, hoje em dia, é senso comum que esta é uma visão ultrapassada e ignorante.

O que não impede, infelizmente, que o Rock continue com fama ruim! Mas com um diferencial: não é mais por causa dos seus artistas e de suas ideologias e atitudes, mas sim, especialmente, e exclusivamente, por causa dos seus fãs!

Sim, porque nada melhor do que a fanbase (base de fãs) para estragar as coisas. Por causa dela, nós não gostamos do Flamengo, do Minecraft, de Lost, do veganismo, de Harry Potter, etc. No caso do Rock, seus fãs são considerados infantis, pedantes, metidos a superiores e cheios de cultura, que só sabem falar mal dos outros. E é sobre estes fãs que este autor vai falar neste artigo, separando-os em categorias na lista abaixo:


O Poser
Definição
Antes de tudo, é preciso definir o que é "poser". Antigamente, esse adjetivo era usado para (des)qualificar os fãs de Hard Rock, porque eles adoravam fazer pose. Sim, "poser" quer dizer "fazer poser". Já no presente, "poser" caracteriza aquele falso fã, aquela criatura que se diz a maior fã de certo assunto, mas que na verdade, não sabe porcaria nenhuma sobre esse certo assunto. Só quer fazer pose de entendedora.

Os posers existem porque acham que vão conseguir vantagens, respeito, aceitação e admiração se dizerem e fazerem pose de "manjadores". Acham que as pessoas o verão como uma pessoa culta, inteligente, interessante, uma referência ou exemplo para os outros, etc.

No caso do Rock, os posers fazem de tudo pra serem reconhecidos como rockeiros de verdade, e por isso, seguem todas "dicas pra ser rockeiro" que aprenderam por aí: usam o máximo de acessórios que conseguem, só vestem camisa de banda, fazem todos os gestos considerados "rockeiros", como chifrinhos com as mãos e o dedo do meio pra mostrar "rebeldia", só tiram fotos com o intuito de se mostrarem rockeiros pra todo mundo (ao invés de tirarem fotos de "pessoa normal"), e se dizem conhecedores de todas as bandas que os rockeiros ouvem. É sempre assim, se você perguntar pra um poser se ele gosta de AC/DC, Iron Maiden, Lacuna Coil, Behemoth, Dream Theater e Blue Mist, ele vai dizer que gosta de todas elas, que ouve elas desde sempre, que sempre vai no show dessas bandas, quando na verdade, ele nem sabe diferenciar nenhuma dessas bandas, não sabe nem que essas bandas são diferentes, e pior: não sabe que esse tal de Blue Mist é uma banda inventada! Sim, isso foi uma pegadinha deste autor, e essa pegadinha é ó-te-ma pra fisgar posers! Inventem uma banda e perguntem pros posers se eles conhecem ou gostam, e divirtam-se!

(AVISO: Altos níveis de vergonha alheia)

Porque estraga a imagem do Rock
Porque infelizmente, são os posers quem mais aparecem para as "pessoas comuns". Por quê? Porque os rockeiros de verdade seguem aquela grande filosofia de vida defendida por celebridades como Ghandi, Pitágoras, Dalai Lama e Romero Brito: "fiqueis de boa". E os rockeiros fazem isso, ficam de boa. Eles não tem essa necessidade toda de se mostrar como rockeiros de verdade, não tem essa ânsia por auto-validação, nem ligam pro que os outros pensam e falam, só curtem o seu Rock e ficam na deles. E só.

Já os posers não, eles querem atenção, querem aparecer, querem estar em evidência, querem ser conhecidos por todo mundo que são rockeiros de verdade. Por isso eles se mostram pra todo mundo e por isso as "pessoas comuns" já associam diretamente o poser ao rockeiro de verdade, fazendo o Rock ter sua imagem estragada ao achar que todos os seus fãs são assim: carentes de atenção, infantiloides, sem personalidade própria, exibidos, sem senso de ridículo e desesperados pela validação e aceitação dos outros.


O Underground
Definição
É comum que os rockeiros de verdade estejam mais próximos do cenário musical underground, afinal, é lá que tem Rock do bom. Se depender do mainstream, é capaz de achar que a banda Malta é a última grande banda de "Rock Pesado" do Brasil.

Mas neste tópico, estamos falando daquele indivíduo que é underground ao extremo. Ele gosta de ouvir tudo que ninguém ouve, gosta de procurar bandas dos tempos mais remotos e dos lugares mais improváveis do planeta, e gosta principalmente do momento em que lhe perguntam: "O que você curte?", pois esse é o momento dele brilhar e mostrar toda sua cultura inútil. É o momento em que ele vai dizer bandas que você, que seus amigos, que seus colegas, que os colegas dos seus colegas, e o mundo inteiro nunca ouviu falar. E essas bandas que ele curte sempre (SEMPRE) vem dos países posicionados nos extremos do mundo, sempre (SEMPRE) são uma mistura de gêneros, como Suicide Stoner Depressive Gothic Metal, de Progressive Atmospheric Ambient Folk Metal ou de Punk Gore Progressive Indiano, e sempre (SEMPRE) tem uma característica especial, como...

Sei lá, como... como lançar apenas um EP por década, ser formada só por mulheres ruivas, ter um nome incompreensível de 15 letras, ou por ter um urso polar diabético como tecladista, coisas do tipo.

Esse rockeiro underground ao extremo dedica sua vida a conhecer o que ninguém conhece por dois motivos: primeiro, a vontade de ser diferente de todo mundo, de se sentir único e especial. E esse objetivo é realmente cumprido, pois poucas pessoas se esforçariam com tanto afinco pra conhecer bandas que ninguém quer conhecer. Já o segundo motivo é a sua personalidade arrogante, vaidosa e elitista, que chega até a ser esnobe, que quer se gabar e se considerar a pessoa mais culta e inteligente da face de Midgard, superior a todos os mortais que só vivem no mainstream, seres inúteis que só gostam de porcaria e que são burros demais para entender, gostar e ouvir o que ele ouve.

Porque estraga a imagem do Rock
O rockeirão underground ao extremo estraga a imagem do Rock porque faz parecer, para as pessoas não inteiradas na cena do Rock (e inclusive para os iniciantes no Rock) que rockeiros são assim mesmo: arrogantes, metidos, presunçosos, julgadores e convencidos. O Underground é o típico "escrotinho que se acha" .


Otaku Baka
Definição
Os otakus, você já deve ter ouvidof alar: são pessoas que curtem a cultura nerd japonesa, veem animes, leem mangás, bebem mupy, vestem orelhas de pikachu, desenham, estudam japonês, e por aí vai.

Mas o otaku baka não se satisfaz em ser um conhecedor da cultura nerd japonesa. Ele também quer entrar na cena do Rock! E o detalhe: sem curtir Rock e Metal clássico e tradicional!

Sim, ele até curte as bandas de Rock e Metal que "todo mundo curte", mas ele é fã mesmo das bandas de J-Rock e Visual Kei, aquelas que fazem uma mistureba danada de sons e influências que fogem totalmente do Rock tradicional. Eles curtem outra pegada, outra coisa, muito diferente do Rock.

Além de querer se infiltrar onde não precisa estar, o otaku baka também se destaca por ter um Complexo de Vira Lata altíssimo, odiando absolutamente tudo que é brasileiro, e amando absolutamente tudo que é japonês - e ignorando deliberadamente as coisas ruins do Japão, como o alto índice de suicídio do país, a pressão por "ser um cidadão útil" que impede as pessoas de curtirem a vida, a caça predatória desenfreada de animais marinhos que o país promove, a sua cultura machista e xenofóbica, os seus desastres naturais frequentes, o fato das pessoas serem muito frias umas com as outras...

Mas isso são detalhes, né! O Japão vive muito bem assim! Ruim é o Brasil, que não tem NADA DE BOM! NAAAAADAAAAA!!!!!!111!!11! QUERO MORAR NO JAPÃO AGORAAAAAAAAAAAA!!1111!!!!!1!1

Porque estraga a imagem do Rock
O otaku baka não estraga a imagem do Rock exatamente, pois não é um legítimo exemplar de rockeiro. Mas para aqueles que não são inteirados na cena do Rock (tipo, todo o resto da população), o otaku é como todos os outros rockeiros: ignorante e bitolado, preso ao seu próprio mundinho cor de rosa, que dá valor só às cosias que lhe agradam e despreza outras sem nenhum critério. Sem falar no seu jeito esnobe e no seu elitismo, que faz ele se sentir superior por curtir uma cultura diferente de "primeiro mundo".


O Anticristão
Definição
Esse tipinho é bem comum. Assim como o Poser, o Anticristo tem a necessidade de mostrar pra todo mundo que é rockeiro, e com um detalhe a mais: mostrar como é anticristão e anti-religioso. Funciona assim na cabeça dele: quando lhe falam de religião, ele lembra de Silas Malafaia e de ladrões. Quando lhe falam de Deus, ele lembra de Papai Noel e de dilemas lógicos que propõe paradoxos à natureza de Deus. E quando lhe falam de Cristianismo, ele lembra de guerras santas, de pedofilia, e de sua vizinha que se benze quando passa por ele na rua. "Valha-me Nossa Senhora".

Esse comportamento é uma herança do Rock, que sempre gostou de polemizar e provocar o Cristianismo com suas letras questionadoras, sua pose de ocultista/satanista pra polemizar, e suas defesas pela liberdade de crença e pela ausência das doutrinas religiosas na vida pessoal da sociedade.

Aí está a diferença entre as bandas de Rock e esses Anticristãos do tópico: as bandas faziam isso pra passar uma mensagem inteligente, pra se opor aos dogmas anti-libertários que os fanáticos religiosos pregam, tem um objetivo e uma causa nobre. Já esse Anticristão só é anticristão por raiva, por ódio, porque precisa compensar as suas frustrações pessoais escolhendo alguma coisa pra odiar.

Pra não ser injusto com os Anticristãos, eles até são conscientes, sabem que a sociedade não acolhe os ateus, as pessoas sem religião definida e as pessoas com religiões diferentes do Cristianismo. Ele se opõe aos mandos e desmandos dos fanáticos religiosos. Ele sente a pressão da sociedade para que ele "acredite em Jesus", só pra ser aceito pelos demais. Ele é vítima de intolerância e discriminação o tempo todo.

Mas como é que ele luta contra isso? Abrindo um debate? Mostrando com clareza seus pontos de vista? Pregando o respeito e a liberdade de crença? Nããããão! Ele exibe com orgulho aquele colar com cruz invertida, usa camisas de banda que tem pentagramas invertidos e demônios, vive falando sobre o quanto a religião é um veneno, e curte qualquer coisa relacionada ao ateísmo e ao anticristianismo - de preferência, as coisas mais provocativas, desrespeitosas e debochadas possíveis. Ele é capaz até de causar confusão em eventos de bandas de Metal cristãs!

Em suma, ele luta contra o fanatismo religioso... sendo um fanático anti-religião! Fight fire with fire!

Porque estraga a imagem do Rock
Além de perpetuar a crença popular (e equivocada) de que rockeiros são anti-religiosos, o rockeiro anticristão perpetua a imagem que rockeiros são desrespeitosos, irracionais, extremistas e convencidos de que são superiores ao resto das pessoas, só por não serem cristãos.


O Moralista
Definição
Pra começar, ser moralista e gostar de Rock é ser uma contradição ambulante. É como ser um vegano carnívoro ou um neonazista latino. Mas infelizmente, é um tipo de pessoa que vem crescendo mais ultimamente - ou no mínimo, que vem se expressado e aparecido mais ultimamente.

Esses seres consideram o Rock um estilo musical divino, que não se envolve nas impurezas mundanas, que não é pecador. Eles também dizem que o Rock fala apenas de sentimentos, de diversão (com consciência e camisinha), de problemas cotidianos, pensamentos em geral, e moralismo. E o pior é que eles REALMENTE acreditam que o Rock é assim! Quando você encontra um tipinho desses, você pensa imediatamente: "Perae, a gente tá falando da mesma coisa?!".

O rockeiro moralista é assim: cego por sua ideologia, não consegue enxergar um palmo diante do seu moralismo. Pra ele, Rock que fala de sexo, drogas, putaria, bebedeira, morte, ocultismo, religiões pagãs, violência, terror, rebelião, depressão, libertinagem e outros temas que sempre estiveram no Rock e que ferem a "moral e os bons costumes", não são "Rock de verdade". Ou seja, ele nega totalmente a veia contestadora do Rock, ignora sua origem e deturpa seu objetivo primordial de fazer oposição a gente como ele: gente moralista, tradicionalista e conservadora, que é presa demais a regrinhas sociais ultrapassadas que impedem o ser humano de ser livre e espontâneo.

O Festival de Woodstock, segundo os moralistas...

Porque estraga a imagem do Rock
No artigo "Escolhas", este autor explicou que ninguém precisa necessariamente seguir o pensamento mais contestador e iconoclasta do Rock, e vai continuar com esta opinião. O problema aqui, é que o moralista deturpa o Rock, deturpa esse estilo musical para transformá-lo numa coisa que ele não é, deturpa esse estilo musical para que ele satisfaça as suas ideias. Mas o Rock não é moralista, não é bom moço, não é perfeitinho, e nem deseja ser isso. Nunca quis ser o porta-voz de pessoas atrasadas no tempo, presas no passado e atreladas a conceitos limitadores e obtusos que são completamente inúteis. O Rock não é Música Gospel, não importa o quanto o moralista tente convencer a si mesmo disso (e aos outros), pois ele sempre será lembrado por suas atitudes de rebeldia, de desafio ao senso-comum, de desobediência às tradições e de afronta ao status quo.

É por isso que o rockeiro moralista mancha a imagem do Rock, pois faz os outros pensarem que os rockeiros ignoram a importância história e a alma do seu próprio estilo musical, sendo tão chatos, quadrados e coxinhas quanto seus avós. Condenam as mulheres que usam decote de vadias enquanto shows de bandas de Rock tem mulheres mostrando os seios. Condenam os direitos e liberdades individuais dos gays, enquanto o Rei do Metal (Rob Halford, vocalista do Judas Priest) é homossexual. Condenam quem não segue à risca os mandamentos da sua religião, enquanto ouvem músicas de bandas que nunca se vincularam com a religião. Enfim, entre várias outras contradições.


O Anti-sistema
Definição
E falando em "revoluções", falaremos agora do rockeiro revolucionário ultra jovem (qualquer semelhança com antigos programas do SBT é mera coincidência) que odeia o sistema, odeia o governo, os políticos, Brasília, PT, Lula, Dilma e Capitalismo selvagem e essa porra de sistema (com ênfase na palavra "porra", com entonação de raiva furiosa). Seu passatempo é ouvir bandas com letras de protesto e de efeito, pichar a carteira da escola com frases de efeito, As de Anarquia e trechos das letras do Legião Urbana e Cazuza, além de não tirar o verso "We don't need no education..." da cabeça quando está fazendo prova de Matemática.

De longe, vê-se que esse rockeiro anti-sistema é uma pessoa totalmente ignorante e sem o menor preparo para discutir um assunto tão complexo, que é... Política. Sim, o assunto que mais gera guerras, brigas, discussões, debates e unfollows em páginas de Facebook. O assunto que o rockeiro anti-sistema pensa dominar, mas não sabe é de domina. Sequer entende. Suas definições sobre sistemas, política e coisas relacionadas ainda precisam de um longo aprimoramento e desenvolvimento, mas isso não o impede de "ter opinião" e de ser "contra tudo isso que está aí, toda essa roubalheira, toda essa injustiça e tal".

Se essa moça tivesse camisa de banda e fizesse um chifrinho com as mãos, seria um exemplo perfeito de rockeira anti-sistema que este tópico aborda.

Porque estraga a imagem do Rock
É óbvio que existem rockeiros com mais instrução e ciência dos assuntos de Política, mas o rockeiro anti-sistema que este autor está falando não tem nenhuma ciência de coisa nenhuma, suas ideias não são bem-definidas, suas opiniões não fogem da mesmice, e suas ideias de um mundo melhor são muito vagas e ignorantes.

Mas essa ignorância, em si, não é culpa dele. Afinal, essa ignorância acerca de Política é natural num país que a Educação tem baixa qualidade e onde a população tem baixo nível de instrução acerca desses temas mais complexos. O problema aqui, é esse rockeiro anti-sistema achar que sabe de alguma coisa, achar que é consciente, achar que tem a solução para revolucionar tudo, só porque ouviu uma dúzia de músicas de protesto, e só porque ouve um estilo musical que tem a Política como um dos seus temas frequentes.

E esse rockeiro anti-sistema mancha a imagem do estilo por isso, porque faz parecer que rockeiros são rebeldes sem causa, que não sabem direito do que estão reclamando, que não conseguem falar nada além de frases de efeito e palavras que todo mundo já fala. Sem falar que essa rebeldia nem dura muito tempo, já que depois esse anti-sistema vai estudar, vai trabalhar, vai viver numa vida pacata e monótona de merda e vai ser parte do sistema inevitavelmente, fazendo toda essa gana por revolução um discurso vazio e não aplicado na prática.


O Ariano
Definição
Não é sobre signos que estamos falando (apesar da maioria dos roqueiros descritos neste artigo serem virgens). É sobre o espírito de superioridade absoluta que está contido em cada um dos rockeiros que foram descritos até agora.

Esse espírito de superioridade se manifesta mais em uns do que em outros, mas no fim, todos se unem por uma única grande causa: pregar o Rock como o melhor, o supremo, o principal, o excelso, o sacro, o deífico estilo musical de todos os tempos, subjugando e condenando todos os outros gêneros musicais de "lixosos" e "feiosos", hunf!

Esse espírito de superioridade pode estar presente em todo tipo de rockeiro, inciante ou experiente, poser ou verdadeiro, rockeiro ou headbanger. Ele faz o indivíduo sofrer de delírio de grandeza, de mania de nobreza e de sensação de riqueza intelectual. É como se ele fosse um fanático religioso, mas daqueles que dedicam mais tempo a falar frases de louvor do que aqueles que desejam morte aos gays. São capazes até de compartilhar imagens idiotas nas suas redes sociais, do tipo "Se ama Rock, compartilhe, curta, ouça. Se prefere Funk, apenas olhe e depois se mate". Aliás, se eles são como religiosos fanáticos, o Satanás deles é o Funk, o estilo que eles amam odiar e condenar. Mas os resto dos estilos musicais também não fogem do seu amor pelo ódio, todos eles também são execráveis e dignos de pena. Não tanto quanto o Funk, mas o bastante para desqualificar todo mundo que gosta... dessas outras... coisas. Urgh.

Os arianos também sofrem de um grave problema, que é a auto-repressão. Eles não seguem a filosofia dos Menudos, e se reprimem, não saem do armário, não admitem que gostam de coisas diferentes de Rock e Metal. Eles ouvem outros estilos escondido, com cuidado pra que ninguém saiba das suas atividades escusas e contraditórias. E quando são postos sob pressão, dizem que "até gostam, é legalzinho, mas não é tão bom quanto Rock/Metal".

Porque estraga a imagem do Rock
Precisa dizer? Tá bom, este autor vai dizer. Se achar superior aos outros por conta de um estilo musical é ridículo, é infantilidade pura. Além de ser prepotência, arrogância, elitismo, ignorância, etc etc etc.

Ufa! Acabamos essa lista.


Imagens
A sociedade está acostumada a fazer pré-julgamentos das pessoas, está acostumada a pegar um indivíduo de certo grupo social e usá-lo de exemplo para caracterizar todo esse grupo, fazendo assim a generalização. Essa é, obviamente, uma ação errada, ignorante e superficial, que nunca deve ser praticada. Ter um rockeiro idiota não significa que todos os rockeiros são idiotas.

Mas nós, rockeiros, também não temos o direito de dizer "a sociedade" em terceira pessoa, porque a sociedade também somos nós! Nós também fazemos esses pré-julgamentos e generalizações. Quando falamos de fãs de SlipKnot, por exemplo. Esse comportamento de generalização apressada não típico "deles", é nosso também!

No fim, esse assunto sobre imagem, fama e impressões pessoais, acaba sendo uma via de mão dupla, pois eles acham coisas da gente, e nós achamos coisas deles.

E ambos contribuímos para a formação dessas impressões através das nossas atitudes. As atitudes sempre tem consequências, diretas ou indiretas. É um engano levar a sério o conceito de "dane-se a opinião dos outros", pois as atitudes sempre tem efeito sobre os demais, sejam efeitos positivos ou negativos. Se eles fazem coisas que contribuem pra nossa opinião sobre eles, eles também viram coisas em nós que formaram as opiniões deles sobre a gente.

E, inevitavelmente, nós e eles, vamos sempre querer que nossa imagem seja boa e limpa. Seja pra agradar alguém, seja pra sermos aceitos, seja por necessidade, enfim. Sempre vamos querer ter uma boa reputação, uma boa impressão, uma boa imagem. Por isso é bom que façamos uma auto-avaliação, para saber o que nós passamos para os outros, o que nós oferecemos e mostramos para a sociedade. Porque tudo isso, essas famas e imagens ruins, são culpa nossa.

Este artigo termina aqui, com uma música sobre comportamento, e... dirija com cuidado. Adeusmetal.

2 orações:

Francisco Leite disse...

Ótimo post!
E como foi dito: boa imagem é uma responsabilidade de todos nós, apesar de eu não ligar para isso (mentira, eu ligo sim rs)

Anônimo disse...

Ótimo post!! Muito interessante e engraçado. Interessa até quem não curte muito rock. Contra esta sociedade mesquinha e quadrada que não se importa de ver propagandaseu de carros, hálito "saudável" e "a melhor margarina". Viva a diferença caceté! ~Ja escutou algo do Henry Mancini? A qualidade vai te surpriender

Postar um comentário