sexta-feira, 15 de maio de 2015

Se vender

Ozzy Osbourne fez comercial com Justin Bieber, Slash falou que a Fergie é uma boa cantora de Rock, João Gordo falando que os meninos do Restart são gente fina, Lemmy dizendo que fez um comercial de cerveja só pelo dinheiro mesmo... Ultimamente os rockers vem cada vez mais fazendo heresias. Os seus fãs mais severos obviamente ficam mais bravinhos e acusam seus queridos ídolos de terem se vendido. Aliás, o que é realmente “se vender”? Você vai ver a opinião deste autor sobre o assunto.


Etimologia da expressão
“Se vender” no mundo da música é quando um artista ou banda começa a se desvirtuar de seu caminho antigo para conseguir atenção das massas, perdendo qualidade considerável da sua obra, perdendo sua personalidade e afundando sua carreira. No mundo do Rock, “se vender” tem vários significados: ter um contato com coisas hereges, aparecer ou ser um destaque na mídia mainstream, fazer sua obra ser mais comercial ou pop, etc. Qualquer coisa que caracterize uma "traição do movimento" é sinal de que a banda "se vendeu".

Aliás, "se vender" e "traidor do movimento" tem a mesma origem! Essas expressões surgiram na antológica entrevista que o ator problemático Dado Dolabella realizou no programa extinto da MTV “Gordo à Go-Go”, apresentado por João Gordo, ex-líder da banda de Punk Rock Ratos de Porão. Abaixo o bafafá inteiro.



Porque é tão sério
Quando os artistas ou bandas se vendem, significa que elas caíram da graça e se tornaram pecadoras, viraram hereges, são apreciadas por hereges e se venderam ao sistema, portanto não mais dignas de louvor. Seus caminhos se desviaram do glorioso caminho de Deus Metal, e por isso são blasfemadores, e, dependendo do tamanho do pecado, não conseguem reconciliação ou segunda chance com os fãs.

E como, exatamente, as bandas se vendem? Existem várias maneiras, essas abaixo são as principais:


Formas de se vender
01. Vender produtos com o nome da banda
Essas bandas mercenárias! Como sabem que existem fãs fanáticos por elas, começam a vender tudo que podem com seu nome! Acessórios, broches, até as coisas mais inúteis. São muito aproveitadoras mesmo!


02. Aparecer na grande mídia
Em vez ser divulgada e mostrar sua opinião em programas de rádio underground, as bandas vendidas preferem dar entrevista a esses veículos de comunicação de primeira categoria! Como pode?!


03. Fazer comerciais
Ceder sua música a um comercial ou a própria banda/artista aparecer no comercial é sacrilégio! Em vez de ganhar dinheiro com o pouco que consegue nos shows e vendas de discos, ainda ganha jabá da indústria! Que negócio é esse?!


04. Fazer parcerias profanas
Umas das formas mais sérias de se vender é essa. O que leva bandas de qualidade a se juntarem com essa gentalha?! Oh, meu Deus Metal! Perdoai-lhes, eles não sabem o que fazem!!


05. Mudar o estilo para um mais comercial
Esse é o pior caso... as bandas caem tanto, mas tanto que traem o movimento sem vergonha nem temor, como se fosse bom... Odeio eles!!!













É tudo isso e mais um pouco que fazem as bandas serem vendidas, segundo rockers extremistas. Agora você vai ver o que a Bíblia do Rock (coro de valquírias gostosas ao fundo gritando "ÓÓÓÓÓÓH") fala sobre "se vender":


Arte comercializada
Neste assunto todo, a posição da Bíblia é definitiva e direta: se mantiver a qualidade, pode se vender à vontade. Afinal, nada impede que uma banda faça todas essas coisas "profanas" e continue com seu som característico, sua qualidade, personalidade e profissionalismo de sempre.

"Se vender" é algo totalmente previsível e justificável, já que o segundo objetivo de toda banda é ganhar dinheiro! O primeiro, claro, é ser um rockstar. Encantar as pessoas com sua obra, fazer multidões vibrarem com uma coisa da sua autoria, passar uma mensagem que julga importante, enfim. O segundo, como dito, é ganhar dinheiro, e tem coisa melhor do que ganhar dinheiro fazendo algo que você gosta?

Na verdade, tem sim. Molejão, dormir, comer lasanha, ter relações sexuais regulares, e várias outras coisas. Maaaaaaaaas nenhuma dessas coisas te sustenta! Por isso, no âmbito da sobrevivência, trabalhar para conseguir as suas coisas E trabalhar com algo que você ama, é a melhor coisa do mundo!

"Ah, mas a arte não devia ser comercializada, explorada e usada por esse sistema vil e opressor!"

Então fale isso pros artistas que vivem de arte. Fale isso pros que fazem produtos artesanais, pros que fazem pinturas, pros que escrevem livros, pros que dançam em grandes espetáculos, até mesmo pros que tocam violino no metrô e recebem esmolas. Mas caso você faça isso mesmo, este autor já lhe adianta um spoiler: todos vão ignorar e desprezar a sua ideia, e poderão até rir de você, na sua cara, na sua frente! E sabe por que? Porque você é um (ou foi convencido por um) revoltado sem causa anarquista de apartamento juvenil e anti-sistema hipócrita! Principalmente hipócrita, porque você condena artistas de "se venderem" ao sistema, mas você mesmo está sendo treinado desde a escola para se adequar ao mercado de trabalho e ser mais um vendido do sistema, e vai ter que baixar a cabeça pra chefe, vai ter que cortar o cabelo pra cumprir as normas da empresa, vai ter que acordar às 6:30 da manhã, sair da cama, vestir-se, alimentar-se a força, cagar, mijar, escovar os dentes e os cabelos, enfrentar o tráfego para chegar a um lugar onde essencialmente o que você fará é encher de dinheiro os bolsos de outro sujeito, e ainda por cima ser obrigado a mostrar gratidão por receber essa oportunidade!

Ou seja, não cobre dos outros o que nem você faz, seu vendido! O que os artistas querem mais é "se venderem" mesmo, ganharem dinheiro com seu talento, usarem seu dom como principal fonte de sustento e rendimento. Você acha que Michelangelo pintou a Capela Sistina só pelo prazer em pintar? Que nada, foi pra receber o pagamento gordo que a Igreja ofereceu também!

Mas se você ainda insiste que "vender sua arte" é ruim, deixe este autor fazer uma pergunta simples: por que você acredita tanto nisso? Há realmente algum motivo para tal? Pombas, aproveitar seus dons para se sustentar é uma boa ideia, não é? Viver da sua arte é legal, não é? Isso não tem nada a ver com a forma que o mercado ou a economia é gerida hoje em dia - e isto sim merece críticas e até repúdio! Mas é bom não confundir as coisas. Vender a sua arte não é a mesma coisa que a forma como o sistema econômico vigente funciona. Então fica aqui a dica do Profeta: desenvolva melhor suas críticas na hora de criticar as coisas.


Produtos, marcas, propaganda e afins
Saindo do assunto de "comercializar a arte", todos podem concordar que, tudo em excesso, faz mal. Nesse caso, não é necessário vender tanta coisa com a marca da banda, tanto produto, tanta bugiganga. Tem banda que não se contenta em vender só caneca, camisa e boné, vende também cerveja, skate, relógio de parede, vibrador, até caixão!

Hell or Hallelujah! 

Sim, tem bandas que não escondem sua gana e ambição, não tem medo de transparecer que sua banda se tornou mais um negócio e uma profissão rentável do que propriamente uma arte, uma paixão. Mas é aquilo que este autor disse antes: se mantiver a qualidade, pode se vender à vontade. Nada impede que você desconsidere totalmente o lado pessoal dos artistas e goste apenas da música que eles fazem. Isso é um pouco difícil pra alguns, mas é a opção mais viável pra continuar gostando e ouvindo a banda: ignorando os bastidores da banda.

Mas claro, se você gostar da banda, e ao mesmo tempo achar inaceitável eles se tornarem grandes marqueteiros, certamente vai deixar de dar audiência pra eles e não consumir nada que eles tenham pra vender, nem mesmo sua música. Isso já é com você, é escolha sua. Você vai ser apenas menos um cliente, enquanto o número de "clientes" fãs da banda continua tendo um saldo positivo.

Enfim, fiquem aí com uma das bandas mais vendidas de todos os tempos e adeusmetal.

0 orações:

Postar um comentário