sábado, 25 de abril de 2015

Modinha

Que tema batido! Mas este autor que vos fala quer fazer com que este artigo seja uma síntese de todos os existentes do mundo, reunindo todas as informações que todos dizem, que todos sabem, e que todos não perguntaram sobre. Por isso, vamos a este artigo esclarecedor (ou não):


Etimologia
Modinha é um assunto que fica em evidência de repente, e que tem relevância e atenção por tempo indeterminado, mas geralmente, efêmero. É por causa dessa efemeridade que muitos desprezam as modinhas, pois elas vem rápido e passam rápido, e se elas tivessem conteúdo mais importante ou relevante, seriam lembradas por mais tempo ou marcadas na vida das pessoas de modo muito especial.


Como esse bebê monstro nasce
A modinha pode nascer da TV num programa de auditório, na rádio, num programa de relevância, na internet por um vídeo humorado, etc. Qualquer meio de comunicação de grande veiculação pode dar nascimento a uma modinha. Antigamente as pessoas se prendiam mais à TV, mas com o advento da tecnologia, mais modinhas saem da internet do que qualquer outro tipo.


Tipos de... você sabe (ficar falando "modinha" toda hora enjoa)
Do mesmo jeito que existem vários jeitos de como a modinha pode ser propagada, também há diversos jeitos de como ela é.

Modinha falada
Esta modinha funciona como bordão, jargão ou frases de efeito que grudam na cabeça. Sabe o seu amigo bobo alegre que até agora grita "taca-lhe pau"? Este é um exemplo de modinha falada. Existem bordões do Chaves, bordões de um cantor, de um artista, de um comercial, de um filme, de qualquer coisa. E como toda modinha repetida exaustivamente, os bordões enjoam e irritam à medida que são usados.

Modinha visual
A modinha visual é a moda, o que você veste, o que você usa de acessórios, tudo que você usa pra tampar o seu corpo e focar na aparência. As pulseirinhas do sexo, os cabelos lisos e chapinhados, o all-star, os óculos que parecem uma TV de LCD, umas orelhinhas furry, entre outras coisas que te deixam mais feio do que você já é. Geralmente essas modas visuais nem surgem de São Paulo Fashion Weeks da vida, e sim de celebridades que só querem aparecer (Lady GaGa é um exemplo).

Modinha auditiva
Modinha auditiva é... música! Qualquer música chiclete, que faça muita gente dançar, ou que seja irritante o suficiente pro seu sub-consciente gostar e ficar brigando com seu consciente que odeia a música.

Modinha virtual
É aquela que não faz parte do plano físico (muito menos metafísico), mas que se origine do mundo virtual. Pode ser um vídeo da internet, um jogo de videogame, um novo produto tecnológico, uma nova rede social, um meme (ou mene, depende da sua corrente filosófica), qualquer coisa que te faça mais dependente das máquinas.

Modinha artística
Essa abrange tanto a música como qualquer tipo de arte, seja escultura, edificação, leitura, desenho, atuação, dança, esporte, etc. Pode ir desde a Mona Lisa até Death Note, de um show de stand-up até um livro teen de fantasia. Você acha que o Expressionismo, Romantismo, Iluminismo, Cubismo, Classicismo e mais um monte de "ismos" foram o que? Modinha, ué! Inclusive aquela modinha das pirâmides foi foda, toda religião pagã queria ter uma, era um saco!

Modinha ideológica
Essa é a mais difícil de ser notada ou percebida pelas pessoas, mas as modinhas ideológicas estão aí para nos influenciar e nos controlar. São aqueles jeitos incríveis de viver a vida que nos incentivam a seguir, aqueles jeitos de pensar "alternativos" e "fora do comum" que falam por aí, que englobam filosofias, ideologias, teorias políticas, religiões, etc. Pode ser uma coisa simples, como acreditar que o dinheiro é tudo na vida, ou algo mais grandioso, como se converter ao espiritismo porque um monte de filme do Chico Xavier foi lançado.


Personalidades "modinha"
Este autor agora fará uma lista rápida de pessoas que fizeram modinhas por querer ou sem querer querendo, para ilustrar todos esses segmentos citados acima. Vamos a eles:

Emílio Surita
Tipo de modinha: falada
Emílio é o líder e apresentador do programa Pânico na TV, programa de humor dominical que volta e meia apresenta uma dancinha ou um bordão novo. Não é Emílio quem os reproduz, mas sim seus lacaios, portanto é a ele quem deve ser dirigida a culpa de tudo. Por causa dele já tivemos o "Aloka", "AH MULEKE!", "Beleza, tá sabendo legal", "Ronaldo" e "Brilha muito no Curinthians", "Antôniooo NUNES!", "Qui bom", "Pedala Robinho" e "Samba Tevez", "Cadê o chinelo?!", "Ô Adriano, tá me ouvino?", "Peitinhô!", "Arregô", "Hummm boiola", "Nooossa!", "Você você você você [...] quer?", "Tá ouvindo? Uh, Lady GaGa! *música Pokerface*", além das dancinhas que aparecem de vez em quando.

Malcolm McLaren
Tipo de modinha: visual
Malcolm MacLaren era um estilista que queria lançar uma linha de roupas ~transgressora~ que chocasse, inspirasse rebeldia e ATITUDE!!!, e pra isso, ele fez uma banda para divulgar sua grife: o Sex Pistols. E os Sex Pistols não fizeram nada mais, nada menos, que iniciar o Movimento Punk na Inglaterra! Além da roupa punk ter surgido por causa de Malcolm, ele ainda fez uma banda que influenciou sua geração e criou novas modinhas, como os chamados punks de boutique, o New Wave, e todas as modinhas visuais advindas do mundinho Punk: aquele moicano do Neymar, aquele cabelo pintado das patricinhas, os piercings de... qualquer pessoa, etc.
Rick Bonadio
Tipo de modinha: auditiva
Rick Bonadio é o maior filho da puta da música brasileira, pois além de ter empresariado os Mamonas Assassinas (deu má sorte e eles morreram), ele é o responsável pelo sucesso de Charlie Brown Jr, Ls JackCPM 22, Nx Zero, Fresno, Strike, Hateen, Glória, Restart, Titãs (no disco "Sacos Plásticos", o pior da carreira da banda), além de outras atrocidades como Br'oz, Rouge, Los Hermanos, e mais recentemente, Manu Gavassi e Rebeldes (a cópia brasileira do RBD que passou na Record). E sim, ele é o mentor de toda e qualquer modinha que esteja tocando por aí, especialmente as modinhas que adoram se vender sob o rótulo do Rock. E como podemos ver em casos como Los Hermanos e Titãs, ele cosnegue tirar toda a personalidade próprias das bandas para fazê-las mais "rentáveis".

Felipe Neto
Tipo de modinha: virtual
Este autor poderia colocar um vlogger tão modinha quanto ele, como PC Siqueira, o Vagazóide, aquele barbudo que desce a letra ou aquela mulher lá, mas este autor acha que não tem ninguém mais pop e modinha quanto Felipe Neto. Ele o carioca autor do vlog Não Faz Sentido, onde ele fala mal de tudo em geral e é conhecido como o paladino anti-modinha mais modinha de todos os tempos, tendo milhares de seguidores sem cérebro no twitter, aparições em um monte de canais, livros que ninguém lê e vídeos que já tiveram sua época. Ou seja, ele é uma modinha que morreu já, perdeu a graça.

Stephenie Meyer
Tipo de modinha: artística
Stephenie é uma escritora de livros sem igual: permite que você quebre todos os seus conceitos pré-estabelecidos sobre mitologia universal e seja apresentado a um universo totalmente inovador onde tudo que você conhece é... estragado. Este autor se refere à quatrilogia de livros Crepúsculo, onde uma fada de 107 anos se apaixona por uma menina com paralisia facial. O sucesso dos livros foi o bastante para Crepúsculo ser a modinha literária infanto-infantil mais irritante que a série Harry Potter, já que Crepúsculo também rendeu uma série de filmes, todos vencedores do Framboesa de ouro, o que mantém a qualidade equivalente a de seus livros.
Chico Xavier
Tipo de modinha: ideológica
Chiquinho foi um médium que ficou famosão na sua época e popularizou o Espiritismo no Brasil. Ele entoava frases bonitas, pregava a saúde da alma e todos os preceitos básicos dessa religião, além de estereotipar todos os médiuns quando colocava a mão na testa pra psicografar o que o Penadinho lhe falava no ouvido. De uns tempos pra cá, o Espiritismo começou a ficar pop por causa da mídia, que aproveitou que o Catolicismo começou a perder fieis. Foram feitos uns três filmes espíritas, uma série na Globo e algumas novelas na emissora que abordavam o Espiritismo como tema principal, e BOOM! Um monte de gente paz e amor e "a vida é um aprendizado" apareceu. Talvez Chico nunca tivesse imaginado a onda que criaria, mas deve estar assistindo a tudo isso em Nosso Lar...

Ainda existem vários formadores de modinhas, como os Barbixas que criaram a modinha de show de humor de improviso; o Jacaré Banguela com sua modinha do blog de humor; Richard Pryor com seu stand-up; a Disney com seus filmes infantis; Willian Shakespeare com seus livros românticos; o Orkut que fez a modinha das redes sociais; o 4.chan com os memes da internet; José Padilha com a Tropa de Elite; Mulher Melancia com a moda das mulheres fruta; Karl Marx com a camisa revolucionária do Che Guevara; Jesus com aquele tal de Cristianismo (que muita gente confunde com Comunismo por causa do preceito de "dividir suas coisas com pobres" e tal)... e etc ao infinito. Sempre vai existir um formador de opinião ou grande mestre criador de moda pras pessoas seguirem. Sempre vai existir e sempre existiu.


Por que aderir?
Por que raios uma pessoa teria motivo pra seguir uma coisa que todo mundo segue? Pra responder esta questão, este autor retirou a resposta de uma menina do Yahoo! Respostas (com erros de gramática corrigidos):

"Ah, eu acho legal as modinhas... Imagina um mundo sem modinhas?! Seria uma chatice, as pessoas cairiam na mesmice, rotina... não teria a menor graça. Acho que essas modinhas servem pra você moldar o ser humano, e até ajuda a definir uma personalidade, criando um estilo próprio... pegando um pouco disso, daquilo..."

Exatamente isso! Modinhas servem para moldar o ser humano, salvando-o do ato tão perigoso que é pensar e agir por si próprio! Desse jeito, o ser humano passa a não ter personalidade e começa a pensar como todo mundo, agir como todo mundo, deixar de lado a sua inteligência e se tornar um zumbi consumidor de tudo que todos gostam, dotado de um grande vazio no cérebro e procurando constantemente por algum "formador de opinião" para preencher esse vazio, e assim seguir tudo que ele diz, e ser com todos os outros.

Mas é cedo para rir deles, pois você também é um seguidor de modinhas. É verdade! Quer que este autor esfregue essa verdade na sua cara? Está preparado?


Você aderindo
Você não quer participar de uma modinha por ser inteligente o bastante pra não ser um maria-vai-com-as-outras? Ótimo, seja um anti-modinha! Sendo um anti-modinha, você faz parte da modinha dos anti-modinha!

É claro que este autor está considerando que "modinha", neste caso, é "algo que todo mundo faz". Mas não dá pra falar em "todo mundo", pois sempre vão existir sempre dois lados da moeda: um lado que gosta de tal coisa, e outro lado que não gosta da tal coisa. As pessoas não tem o pensamento tão homogêneas assim, sempre tem o time "a favor" e o time "do contra". Portanto... não há escapatória! Todos, de alguma forma, vão participar de alguma modinha! Se existe matéria, existe a anti-matéria! Se existem nerds, existem os normais! Se existem teístas, existem ateus! Se existe a Família Restart, existe a anti-Família Restart! Em resumo, você é um maldito seguidor de modinhas!!! MWAHAHAHAHA!!!

MaAaAaaaaaassssssssss, há uma solução para fugir desse paradoxo...


Analisando o conteúdo
Que tal paramos pra pensar no conteúdo das coisas? E se nós considerarmos o que as coisas tem, o que elas podem oferecer pra gente, o que elas tem pra nos mostrar?

Esse é o passo para escapar de vez das modinhas: pensar por nós mesmos e analisarmos o conteúdo. Assim, se alguma série de filmes pra adolescentes como Jogos Vorazes aparecer, você não vai gostar imediatamente só porque está todo mundo elogiando, nem desprezar automaticamente só porque todo mundo está elogiando! Assim nós vamos superar nossas instintos de dar crédito pra uma coisa por ter muito público, e o de não dar crédito nenhum pra uma coisa que tem muito público!

Muitas pessoas sofrem do primeiro mal, de dar crédito pra algo que tem muito sucesso. Mas você que é rockeiro que está lendo isto agora, muito provavelmente sofre do segundo mal, que é ter desprezo por algo que todo mundo elogia. Este autor sabe que é verdade, ele te conhece, ele sabe o que você pensa. Ele sabe que você já fica "hum, se tem muita gente elogiando esses Vingadores, com certeza é ruim, não é tudo isso, é superestimado, não vale a pena (...)". Mas antes de qualquer pré-conceito ser formado nas nossas mentes, vamos analisar o conteúdo. Assim nós escapamos da maior modinha, que é não pensar por si próprio!

Você já pode começar dando uma chance praquela banda que todo mundo está comentando ou comentou há um tempo atrás. Você também pode expandir isso pros programas que você assiste,as suas roupas (camisas, tênis...), filmes, músicas, desenhos, esportes, ideias, tudo. Assim você vai exercitando seu senso crítico e passa por uma reeducação para descobrir o sentido das coisas (que profundo), para no final, concluir se as coisas que você gosta realmente te acrescentam em algo, ou não. Feito tudo isso, o conceito de "modinha" se perde, e tudo que existe é visto por aquilo que é, sem generalização, preconceito ou pré-julgamento.

Tudo isto posto, este autor fica por aqui, e vocês ficam com a banda mais modinha da cidade. Adeusmetal \m/

1 orações:

Anônimo disse...

Eu gostei bastante do seu post, não gosto dessa coisa de modinha porque todos estão tendo vou ter ? Só desejo o que gosto . então ... Eu gostei também de você ter citado que é modinha quem critica os modinhas sabendo que os que eles estão elogiando está na moda, complicado rsrs já critiquei por não curtir modinha .. Queria conhecer pessoas da minha idade que não fossem disso sabe ?.. Eu só conheci uma menina que não é disso, então amei o tema e obrigada pelo melhor post sobre isso . e eu tenho uma pequena dúvida porque " a biblia do rock" e a foto de nosso senhor Jesus no perfil? Beijos ..

Postar um comentário