quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

O Azarado

Aquele era um dia atípico. Estando tão perto do grande acontecimento, ele pegou-se agradecendo às nornas por finalmente terem lhe dado alguma trégua. Enfim, alguma coisa na sua vida estava dando certo. E aquelas pedras pontiagudas no seu caminho tinham uma razão de existirem, pois forma elas que o conduziram a esta boa-aventurança. Faltavam alguns minutos para o acontecimento, e ele refez seus passos até aquele momento esperado.

Há muito tempo, nosso heroi namorava um disco raríssimo de uma loja de Rock. Com frequência ele visitava aquela loja e se certificava de que aquele disco ainda estava lá, paradinho, no canto dele. Aquele disco era dele. Só dele. Bastava ter dinheiro pra levá-lo dali de uma vez. 35 reais, era tudo que precisava. O disco era uma preciosidade, famoso, requisitado. Na verdade ele se achou com sorte por aquele disco ainda estar ali, pois ele já devia ter sido levado por alguém há muito tempo. Mas ele ainda estava lá, esperando pra ele.

Chega o dia em que ele finalmente consegue a grana pra comprar aquele tesouro. Com empolgação interna e um sorriso de orelha a orelha na sua alma, ele entrou na loja e já se encaminhou ao balcão de discos. Já tinha feito aquele percurso tantas vezes que cada passo dado já lhe era familiar. Nem precisava pensar. O piloto automático já encaminhava seus olhos ao querido disco. "Você está indo pra casa", ele pensou. Ele tateou com a ponta dos seus dedos cada disco daquela fileira para encontrar aquela preciosidade. Vasculhou até o final. "Eu jurava que ele estava aqui...", ele pensou. Seu coração deu uma pontada. Verificou novamente aquela fileira, e notou que a organização dos discos tinha sido mudada, e se acalmou. Ele não tinha sido levado ainda. Só precisava ser procurado e encontrado. Pois aquele momento tão esperado não poderia acontecer sem um pouco de emoção, não é? Seria fácil demais entrar, pegar o disco e ir pra casa. Não, aquele momento precisava ser saboreado. Cada segundo contava para o momento ser mais épico. Na verdade, ele já estava até se imaginando contando pros amigos o quanto foi incrível comprar aquele disco, tentando transmitir, com as suas palavras, todas as suas emoções. A angústia em não poder ter aquela preciosidade mais cedo, a ansiedade, a insegurança, e finalmente, a satisfação e o sentimento de auto-realização por ter aquela obra em mãos.

Seus dedos foram tateando cada fileira de discos daquele balcão. A ponta dos seus dedos já estava ficando empoeirada, e seu temor ia aumentando. Será que organizaram os discos por ordem de estilo? Por ordem de "esse é mais importante que esse"? Será que ele estava em outra sessão? Cadê o disco? Os seus olhos já demonstravam preocupação, e seus dedos já vasculhavam os discos mais rápido. Ele tinha que estar ali. Era obrigação dele estar ali. Não era possível que sua jornada terminaria assim. Tanto esforço pra nada. Nadar e morrer na praia. Aquilo não podia estar acontecendo.

Cansado de procurar, ele decidiu ser inteligente e perguntar pro balconista se aquele disco já tinha sido levado. Ele apanhou seu caderno onde estavam registrados todos os discos vendidos, folheou até as últimas páginas e constatou que ele já tinha sido comprado há tempos.

Sem conseguir disfarçar a decepção do seu rosto, o balconista entendeu seu drama e tentou consolá-lo, dizendo que aquele disco era muito procurado mesmo, e que em alguns dias, ele estaria disponível na loja. Nosso protagonista agradeceu a informação e andou lentamente pelo local, passando os olhos desatentos pelos discos, vinis, camisetas, pôsteres, DVDs, acessórios e outros itens. O dinheiro ainda estava consigo, e assim, ele pensou em não ter uma viagem perdida. Ele podia não ter sua compra desejada, mas nada lhe impedia de comprar outra coisa. E ele partiu direto para as camisetas, pois fazia tempo que não estreava uma camisa de banda nova. Ele levou uma camisa do Guns N' Roses super bonita e estampada, torrando todo seu dinheiro.

Alguns dias depois, ele visitou um grupo de compra e venda de discos do Facebook. Encontrou porcarias, preciosidades e pérolas sendo vendidas, negociadas e trocadas. Uma delas era o maldito disco que ele tanto queria, e mais barato que naquela loja. Ele se esbugalhou os olhos de animação e pegou sua carteira para ver quanto podia gastar. Nada. Aí lembrou que tinha comprado aquela camiseta dias atrás...

O seu mundo parou. Passou alguns segundos segundos para tentar assimilar o que aconteceu. Aquele disco escapou por entre seus dedos novamente. Duas oportunidades, ambas perdidas. Um instinto de urrar seu grito mais primitivo e quebrar tudo que visse tomou conta da sua alma. Mas ele se contentou apenas em socar a parede grunhindo (derrubando o poster que já estava pendurado por apenas uma durex na parede) e ouvir som pauleira pesadão o dia todo de cara emburrada.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Caindo de paraquedas

Como você encontrou a Bíblia do Rock? Por indicação de uma pessoa? Por parceria com algum blog? Por alguma imagem engraçadinha da página da Bíblia? Ou você pesquisou no google por algum assunto, e acabou caindo de paraquedas por aqui? Pois bem, é disso mesmo que este autor vai falar hoje. Você pode ter pesquisado sobre "mulheres em bandas de rock" ou "bandas com mensagens subliminares", mas teve gente procurando coisas esdrúxulas como "rockeiras gostosas com guitarra" ou "como fazer pra ser rockeiro de verdade", e coisas piores ainda!

E para a alegria da família brasileira rockeira, este autor fez um apanhado de todas as pesquisas bizarras que acabaram resultando na Bíblia, reunindo pesquisas desde 2009 até este ano de 2015. Confira:

Pesquisando sobre o blog
  • reliao do rock - Eu entendi que você quis dizer "religião".
  • blog do rock - É BIBLIA do Rock! Mas que bom que você me encontrou.
  • biblia 10 - vlw pelo elojio manow eh nois V1D4LOK4
  • bilia do rock - Esqueça um "b", e escreva a esposa do billy.
  • bilia e guitarra - Será que a Bilia manda bem?
  • biblia roqueira - Isso, pessoal, é locução adjetiva!
  • a biblia do heavy metal - Desculpa cara, o bagulho aqui é Rock.
  • bíblia do heavy metal pdf - O interessante é que a pequisa anterior foi feita quando o livro do Detonator intitulado "A Bíblia do Heavy Metal" ainda nem tinha sido lançado. Já essa pesquisa aqui é recente, então faz sentido a pessoa procurar uma "bíblia do heavy metal em pdf".
  • a biblia do punk - Não, cara! Aqui é Rock!
  • a bibiia do punk - Não, cara! Aqui é Bíblia!
  • biblia do black metal - Eu já disse que aqui é Rock!
  • biblia metal sinfonico - Eu já falei que aqui é Rock, caramba!
  • biblia do slipknot - Ah não! Aí já é sacanagem!
  • a biblia do rock me dá - Esse "me dá" é o título de um post antigo, que hoje foi republicado com o nome de "Ciúme musical". Apesar de ter uma explicação, essa pesquisa é engraçada.
  • site:abibliadorock.blogspot.com pop - Taí uma pessoa que não sabe acessar sites.
  • a bublia do rock - Parece até uma onomatopeia de um peixe respirando...
  • pessoa saindo da biblia - Sai não, fera, tem coisa boa aqui, sério, fica mais um pouco
  • uma frase para o mês da bíblia - Tem aquela do Elvis que é assim: é mais importante acreditar em deus do que ir pra igreja!
  • frases d rock blibia do rocx - Isso tá muito errado!
  • aonde fala na biblia sobre o blasme - Em nenhum lugar. Mas talvez eu fale sobre o Blastoise.
  • a biblia do rock blog japones - Infelizmente, o blog ainda não foi traduzido pra línguas orientais. Quem sabe no futuro.
  • baixar a biblia do rock para celular java - Infelizmente, o blog também não é um joguinho pra ser baixado pro celular.
  • a biblia diz que na mente o demonho pode entra - É verdade!
Pesquisando sobre o Cão
  • mão chifrada é pecado - Era uma vez um rockeiro de família cristã tradicional vendo se podia fazer chifrinhos com a mão ou não.
  • pentagramas invertidos - Não se preocupe, não importa a posição que eles tenham, todos eles tem cinco pontas.
  • rock é satanico na religião catolica? - Essa pessoa perguntou, encontrou esse blog, e agora esse blog responde: SIM! ARREPENDA-SE!
  • montar uma banda de rock e fazer pacto - Será que esse é o objetivo de vida de quem pesquisou isso?
  • tatoo teosofia - Já vi cristão fazendo tatuagem, maçom colocando adesivo em carro, mas teósofo de tatuagem, eu nunca vi.
  • rock row pacto com demonio - Acho que essa pessoa quer encontrar o Rick Roll, isso sim!
  • www.frases de satanismo rockeira - Acessem agora para encontrar gatinhas satânicas com frases super legais!
  • frases satanicas - Tem aquelas da Xuxa! "Ilari Lari Lari Ê Ô Ô Ô", por exemplo, quer dizer "dou de 4 pra satã" no idioma arcaico luciferiano ortodoxo.
  • frases satanicas de rockeiros - Tem várias daquela banda Ei Si Di Si!
  • eu amo um garoto satanico - Esse é o tipo de revelação que tem no programa do João Kléber.
  • imagem de pessoas que foram satanistas depois se converteram. - Porque aqui no blog, tem várias pessoas assim!
  • i fuck for satan camisa - Tanta camisa pra procurar, e a pessoa procura uma do Coisa Ruim.
  • bandas nao santanistas de rock 2015 - Porque tem que se manter atualizado, né?
  • a banda system of a down e gospel? ou satanica? - Ambas as coisas!
  • system of a down tem pacto? - Claro que tem! Por isso ele consegue cantar "Chop Suey" corretamente.
  • angus young acredita em deus? - Claro que sim! Quem faz uma música "Highway To Hell" acredita em Diabo, Inferno, e consequentemente, em Deus...
  • a banda incubus é satanica - Por esse nome, talvez.
  • pink floyd ocultismo - Que preconceito, só porque eles falam do lado oculto da Lua...
  • capital inicial satanico - Sabia que aquela energia toda que o Dinho Ouro Preto tem até hoje, aos 98 anos, não era de graça!
  • bruno mars satanico - Caramba, tem algum artista sem pacto com o demo?
  • paramore in the mourning satanismo - O Paramore é de Belzebum também???
  • engenheiros do hawaii músicas satânicas - Tá todo mundo no colo do capiroto!
  • a banda de forro tem pacto com demonio. - Qual delas??
  • papa roach satanico - Aff, nenhuma se salva!
  • set fire to the rain interpretação deus - Adele! Até você!!!
  • banda . nx 0 faz propaganda iluminati - Nunca me enganaram, esses jovens transviados!!!
  • banda judas . nx 0 faz propaganda iluminati - O Judas Priest também?! Sempre desconfiei!!!
  • igreja nx - Esses illuminati já tem igreja?!?!
  • amberian dawn é uma banda crista - Mentira! Ela é satânica também!!!
  • sonata arctica eh satanico? - Sim!!!
  • avril lavigne é satanista? - Também!!!
  • banda de punk rock mais satanica que existe - Ao invés de procurar essas coisas do demo, você não quer conhecer a banda mais bonita da cidade?
  • banda trash metal com intro numa ingreja a matar pessoa com t - Como é que é?
  • famosos que fizeram pacto com o dio - Esqueceu o "ab" no meio da palavra "dio"! Ninguém faz pacto com o cantor Dio!
  • lol e usado por adoradores de lucifer? - Mais uma vez, a pessoa pergunta, encontra esse blog, e esse blog responde: sim! RPG é coisa do diabo!!!
  • eu quero me converter ao satanismo mais nao tenho um corpo sepultado o que faço? -  coma paçoca.
  • jesus a unica razao do louvor - AMÉM.
Pesquisando sobre Funk (e encontrando um blog de Rock, vai entender!)
  • oracoes ao deus metal contra aos pagodeiros funkeiros etc - Curiosamente, o blog realmente tinha uma reza desse tipo, baseada em trechos de várias músicas. Talvez eu republique.
  • fotos e frases eu odeio funk - Vai lá na Rock Wins. Aqui não tem essas coisas não.
  • caveiras do rock com o simbolo do funk - Existe símbolo do Funk??
  • uma pessoa pode gostar de rock e funk - Essa pessoa deve ter gostado daquele sampler de guitarra e ficado com crise de consciência...
  • vagabundas fanqueiras - Taí um rockeiro superior que nem sabe escrever "funkeiras" corretamente.
  • pq a fdp poser escuta funk e desfila com camisa do ac\dc? - Sexta, no Globo Repórter.
  • alguma profecia ou estudo sobre funk - Profecia, estudo, análise, diagnóstico, qualquer coisa serve!
  • camiseta de caveira de funkeiro - Caveira de funkeiro? Isso não existe.
  • xn--funk-proibidorj-vkb - Só porque este autor é carioca, não quer dizer que ele coloca funk proibidão no blog dele!

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Guerra santa: Tarja Turunen X Anette Olzon

Eis a guerra santa mais esperada por todo mundo!!! De um lado, a musa gótica suprema do Metal Sinfônico, e do outro, a Blaze Bayley do Metal Sinfônico!!! Taaaaarja Preta versus Raaaaabanette Olzon!!! E como todos já sabem, esta batalha é totalmente limpa, imparcial e justa! Então vaaaaamos lá!







Tarja
Turunen
X
Anette
Olzon









01. Tem um nome depressivo.
01. Tem um nome bacana que dá pra fazer vários trocadilhos.

02. Se acabar a Turunen, tanto faz.
02. Se acabar a Olzon, a Terra não terá nenhuma proteção contra os raios UV.

03. Tem vocal lírico, dá sono.
03. Tem vocal normal, deixa a gente acordado.

04. Só faz cara de séria em todas as fotos.
04. Sempre sorri nas fotos, é só alegria.

05. Parece uma estátua de gesso com a sua carona quadrada.
05. Parece uma caveira, e isso é rock and roll.

06. Foi expulsa do Nightwish por justa-causa.
06. Foi expulsa do Nightwish só porque o patrão não quis aceitar seus atestados médicos nem pagar sua licença-maternidade.

07. Era tão chata, que a banda até comemorou sua ida com a música "Bye Bye Beautiful".
07. Não recebeu nenhuma indiretinha, mesmo com toda a confusão. 

08. Faz carreira solo, mas todos só querem ouvir ela cantando músicas do Nightwish.
08. Faz questão de não ficar à sombra do Nightwish e evita cantar músicas da banda em sua carreira solo.

09. Tem um logo no estilo tribal que não tem nada a ver.
09. Tem um logo singelo e humildão.

10. É vulgar e desce na boquinha da garrafa.

10. É sensual e canta Shakira.


BÔNUS:
11. Fez o papel de Claudia Leitte no The Voice Finlândia.
11: Não participa de programa modinha.

VENCEDORA:
ANETTE OLZON

E você que odeia Anette já pode cortar os seus pulsos de ódio, porque ela ganhou numa luta limpa, imparcial, justa e idônea! Continua aí na sua tarja preta e adeusmetal.

domingo, 27 de dezembro de 2015

Sunday songs [09]: Rave Metal

A música eletrônica sempre esteve (mais ou menos) presente no Metal, seja numa introdução "estilizada", numa voz com efeitos, numa base inspirada nas músicas eletrônicas, ou até com o Metal Industrial. Mesmo que esses flertes com a música eletrônica causem alergia nos metaleiros mais tradicionais, as bandas não estão nem aí e continuam fazendo o que bem entendem. E algumas até extrapolam e investem pesado na "artificialidade", compondo canções perfeitas pra tocar nas baladinhas. Pra saber mais sobre esse tal de Rave Metal (que não passa de um nome bobo baseado num trocadilho, que de tão óbvio, nem deve ter sido a primeira vez que você já viu), continue a ler o artigo. Provavelmente você nem vai ouvir as músicas, mas vale a pena ler o artigo, porque acumular cultura inútil é legal.

Pra começar, esse "Rave Metal" é diferente do típico Metal Industrial executado por bandas como Ministry, Marilyn Manson, Rob Zombie ou Rammstein. O Metal Industrial usa sua sonoridade eletrônica para deixar seu som mais pesado, grave, intenso e "sujo". Já o "Rave Metal" usa sua sonoridade eletrônica para deixar seu som mais melódico, ritmado e até dançante.


sábado, 26 de dezembro de 2015

Indicação: Punk Rock Jesus

Eis a maior indicação que este autor fez até agora, e republicada na semana de Natal! "Punk Rock Jesus" é uma graphic novel (um nome gourmet pra "gibi com começo, meio e fim") que conta uma história que... bom, pra você ter uma ideia, este autor dará a sinopse da introdução (sim, sinopse da introdução!):

Lá pra 2019, uma mega corporação norte-americana investe uma graninha para extrair o DNA de Jesus Cristo do Santo Sudário com pretensão de fazer uma clonagem de Jesus. Para isso, essa mega corporação seleciona uma garota de 18 ano virgem e monta um mega reality show transmitido em escala global para transmitir ao vivo "a segunda vinda de Jesus na Terra". E não para por aí: anos mais tarde, o "segundo Jesus" chamado Chris se rebela contra essa mega corporação, contra o Sistema e contra a Religião como um todo, levando sua mensagem rebelde através de uma banda de Punk Rock.

É uma leitura recomendada pra todo mundo, não importa sua crença ou falta dela, pois traz críticas à televisão, política, sociedade, religião, tudo que merece ser criticado. Infelizmente o material só é disponível em inglês, maaas tem uma versão dele traduzida em português online. Porém,e ste autor recomenda fortemente que você compre essa graphic novel, porque ter o material físico das coisas é sempre melhor..

Autor: Sean Murphy
Editora: Vertigo
Número de páginas: 224
Formato: 27,1 cm x 15,6 cm

Scans online e traduzidas:
Parte 1
Parte 2
Parte 3
Parte 4
Parte 5
Parte 6

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Jesus Christ Rockstar

Já é Natal na Leader Magazine (Natal!)! Tem tanta coisa pra gente aproveitar: 60 dias pra pagar, é só parcelar, é bom você se apressa-ar! Sim, meus amigos, já é Natal! A gloriosa festa pagã comemorada pelos nossos camaradas nórdicos que foi deturpada pelo Catolicismo! Esses cristãos safados de repente decidiram que 25 de dezembro era dia do nascimento do filho do deus deles, e transformaram essa data num dia espiritual, dedicado ao amor, confraternização e união. Maaas... como já dizia CPM 22, "o mundo dá voltas, queridinha" (o "queridinha" foi uma adição livre deste autor). E hoje em dia, o Natal deixou de ser uma data espiritual para ser uma data comercial, a mais comercial e consumista do ano, e onde há recordes de suicídios em todo planeta! Pois é, quem rouba os direitos autorais do 25 de dezembro, também não consegue o quer quer!

Em compensação, o 25 de dezembro não é totalmente inútil, pois nesta data lembramos do nascimento de Papai Noel Jesus Cristo, que, depois de todo o panteão nórdico, é a divindade mais rockeira que existe!

E se você não acredita nisso, ou acha que é só uma brincadeira por Jesus ter barba e cabelo grande, é porque você não sabe a história de Jesus. Ou melhor, A VERDADEIRA história de Jesus. Você acha que a Bíblia conta a verdade, por acaso? Acha que aquele livro de vários autores e compilado por vários editores só fala verdades? Pois este autor tem um colega chamado Daniel Marrom que é historiador e pesquisador e que dedicou sua vida inteira para reunir a maioria de fatos mais próximos à realidade que cercam a vida de Jesus Cristo. Os resultados desta pesquisa você confere aqui em primeira mão, só na Bíblia do Rock.


Origem
Um belo dia, uma virgem adorável chamada Sandy Maria foi visitada por um anjo iluminado, que proferiu as seguintes palavras:

- Maria, você foi a premiada! Você vai ganhar um filho sem precisar fazer nheco-nheco com seu noivo José, e seu filho vai salvar geral e ganhar muitos seguidores, mesmo sem ter um Twitter!

E eis que Maria respondeu:

- O que é Tuíter?

Mesmo com essa dúvida persistindo em sua cabeça, Maria decidiu aceitar o seu destino, pois além de sempre querer ter um filho, não precisava consumar aquele ato necessário para fazer um filho. Isso era um alívio, pois tinha ouvido falar que a primeira vez doi...

Então foi Maria comunicar a novidade para José, e José não reagiu muito bem à notícia. Em verdade, ele não reagiu nada bem. Na verdade, estava furioso. José sentiu-se chifrado por Maria, e esta tentou acalmá-lo explicando que seu futuro filho fora concebido por Deus. Assim José foi possuído pela cólera, pois além de corno, não tinha moral suficiente nem para receber uma mentira ao menos convincente! E este foi o momento que, subitamente, um trovão estremeceu os umbrais e as pernas de José, fazendo-o acreditar naquela novidade.

Os meses passaram, e Maria já estava perto de dar a luz (pois é isso que acontece quando uma mulher está grávida e o tempo passa, durr), o que a levou a procurar um lugar especial para o nascimento do seu primogênito. Porém, por falta de lugar melhor, o casal foi se alojar num estábulo, pois quando disseram pras pessoas que procuravam por um lugar simples, que "não precisa ser um lugar graaande assim, pode ser humilde, com pouca coisa, que a gente não é muito de conforto e tal", as pessoas levaram a sério demais. Assim o casal esteve em companhia de um bando de animais fedorentos.

Quando chegou o momento de dar a luz, Maria lembrou repentinamente de um detalhe que não conseguiu comunicar a José, pois já estava sentindo as dores do parto e gritando de dor. O detalhe lembrado no último segundo era que Maria ainda tinha hímen, por ter se mantido virgem. E foi nesse momento que, logo no seu nascimento, Jesus realizou seu primeiro milagre: nascer. E esse belo e exótico nascimento aconteceu em 25 de dezembro em Belém. Do Pará. E foi presenciado por carneiros, bodes, andorinhas e três reis magos, chamados Mister M, Chris Angel e Davi Côper-Fílde.


Infância
Jesus se meteu em altas aventuras desde muito cedo, enfrentando as maiores confusões que até Deus duvida. Acontece que os boatos do seu nascimento chegaram aos ouvidos de Edir Macedo, o prefeito da época, que o filho de Deus vivo estava para nascer em breve. Edir, que usava livremente o nome de Deus para justificar a sua autoridade, temeu que a sua influência e poderio fossem por terra com o aparecimento do verdadeiro filho de Deus. Assim, Edir mandou secretamente as autoridades executarem todos os bebês da época.

Esta perseguição aos bebês não teve nenhuma repercussão na imprensa, já que Edir ofereceu milhões de cruzados para os veículos de comunicação jamais tocarem no assunto. Com as autoridades perseguindo Jesus, o casal celeste teve que se refugiar em diversas localidades: Formiga, Pintópolis, Anta Gorda, Nova Era, Feliz Deserto, Não-Me-Toque, Jardim das Piranhas, Pau Grande, Jijoca de Jericoacoara, inclusive a cidade de Acuzinho. Eles mudaram de lugar o tempo todo porque sempre eram caguetados por fofoqueiros e perseguidos por paparazzis.

Foi então que, em seu cansaço de tanto fugir, um raio de sabedoria iluminou a mente de José. Ele pediu a Jesus, que nesse tempo já era um menino travesso de sorriso maroto e jeito moleque, que fizesse um milagre para eles conseguirem sumir do mapa. Ora, o filho dele era filho de Deus! Porque não teve essa ideia antes? O detalhe era que Jesus levou o pedido de "sumir do mapa" ao pé da letra, e acabou fazendo um estado inteiro ser como o Triângulo das Bermudas: um local de perdição e mistério. Assim nasceu o Acre.


Jesus permaneceu escondido no Acre até atingir a maturidade, quando finalmente foi chamado por Deus para salvar o mundo da perdição.


O cara
Jesus começou sua missão fazendo um show pequeno, mas memorável, na festa de casamento de um amigo (como o desenho ao lado ilustra). Durante a festa, Maria alertou Jesus que a cerveja tinha acabado, e que todos os convidados já estavam ficando insatisfeitos com a falta de "infra-estrutura do local". Então Jesus pegou um copo d'água normal e transformou a água em vodka. Todo mundo se surpreendeu, comemorou e o reverenciou, mas Jesus disse que não parava por aí. Ele pediu um suquinho de limão e um suco de pozinho, misturou tudo, e assim fez seu segundo milagre: criou o gummy.

A nova bebida inventada começou a ser popularizada e produzida por cada vez mais pessoas, que começaram a deixar de consumir as bebidas tradicionais que eram vendidas, para beberem apenas o que já tinham condições de fazer em casa. Isso causou um grande desfalque nas vendas de bebidas alcoólicas (com exceção da vodka), e causou revolta nos empresários, que deixaram de lucrar o que sempre lucravam. Fazendo os senhores do Sistema ficarem revoltados, Jesus foi o primeiro Punk do mundo!

Enquanto conquistava a simpatia das pessoas, Ele aproveitava para espalhar suas ideias e filosofias de paz. Pregava uma nova forma de viver, em que todos se respeitassem e vivessem como irmãos, que o amor fosse a resposta de todas as coisas e que não houvesse mais ambições pessoais para destruir a união e confraternização entre os povos. Assim, além de ser o primeiro rockeiro e punk que o mundo conheceu, Jesus também foi o primeiro hippie do mundo! Mas isso era a coisa mais óbvia do mundo de observar, bastava ver suas roupas maltrapilhas, sua barba e cabelo grande, suas mensagens de paz e amor, e seu desapego às coisas materiais, que o deixavam sem dinheiro para xerocar as apostilas do seu curso de Filosofia da universidade.

Após se formar com honras na USP, Jesus peregrinou pelas cidades e provou que era mesmo brasileiro: andava sempre sem dinheiro e fazendo milagres aqui e acolá. Numa das suas peregrinações, Ele encontrou seu primo João, primo maneiro que sempre emprestava seu gameboy durante a infância. Inclusive, até hoje, Jesus não devolveu o cartucho do pokémon amarelo que pedira emprestado. Foi uma alegria quando os primos se reencontraram, tanta que organizaram uma festa para comemorar a reunião. E João já era seguidor de Deus nesse tempo, sendo um pregador e batizador, o que fez a festa ser sóbria e sagrada... tendo vinho à vontade. Jesus fez um show com sua banda tocando as músicas autorais "Stairway To Sky", "Highway to Heaven" e "Like an Angular Stone", ficou loucão e realizou milagres absurdos, como a criação do arco-íris duplo, o crescimento de galinhas (que ficaram conhecidas hoje como avestruzes), o brotamento de feijões mágicos e o nascimento do ornitorrinco.

Vendo que Jesus estava mais pra lá do que pra cá, João o levou para um riacho perto dali para dar-lhe um banho e curá-lo. Eis que então, subitamente, um forte tremor varreu a terra e as nuvens do firmamento, que se abriram para uma grande luz celestial. E ouviu-se um voz imponente e majestosa:

- Ô filhão, cê não precisava se batizar não, cê já é santo! Mas isso mostra como você é de Deus! Ou melhor, de Mim! hehe Esse é o orgulho do Papai!

Logo desceu dos céus o Espírito Santo em forma de pomba branca com um ramo verde no bico, que pousou no ombro de João, que estava ajudando Jesus a ficar de pé, ainda tentando entender o que havia acontecido. Quando Jesus se recuperou, João relatou o ocorrido e o que aquela pomba branca estava fazendo bicando seu couro cabeludo. Jesus pensou "VISH" e decidiu ir embora para o Sertão para se purificar e para se esconder de vergonha. E em homenagem a tudo que aconteceu, aquele estado onde estavam, foi batizado de Espírito Santo.


Andando pelo Sertão cheio de fome e de sede, Jesus aproveitou para pensar na missão de seu Pai, prospectando como seria a religião que estava criando. Pensou em como faria para as pessoas deixarem de seguir os deuses pop da época como Dagon, Moloch, Osíris, Ninrode e outros deuses com cabeça de animal. E pensando que Jesus já estava perdendo as forças, tanto físicas quanto nas ideias, o príncipe das trevas Ozzy Satanás surgiu de súbito naquela terra erma, com o intuito de convencer Jesus a fazer parte da religião que o adorava: o fã-clube da Xuxa. E a tentação começou...

- Bem G-Zuis, se você é filho de Deus, transforme esta pedra que seguro em pão!
- Em verdade vos digo: não só de pão vive o homem, mas também de bolo, pudim, camarão e pizza de alcachofra. E também não tô com fome agora.
- Ah não, né?
- Não.
- Sua barriga roncando é o que então?
- Ela tá dormindo.
- Ah vá!

Satanás então levou Jesus para o telhado da igreja onde as pessoas hoje fazem promessas à Nossa Senhora Aparecida. E Satanás disse:

- Se és filho de Deus, se jogue do alto do telhado desta igreja, pois não sofrerá nenhum arranhão!
- Não o farei porque já diziam as escrituras: não farás bungee jump sem corda.
- Mas você é todo-poderoso, você pode fazer isso!
- Arrá! Então você admite que eu sou filho de Deus!
- Ué, mas isso é óbvio!
- Esqueceu que você falou "Se és filho de Deus..." antes, seu trouxa?
- Putz!

Enfezado, Satanás então levou Jesus láááá altão no topo duma montanha e disse:

- Olhe tudo isto, todos esses povos e regiões. Tudo isto pode ser seu, se me adorares.
- Isso já é tudo meu, rapá! Não sou dono do mundo, mas sou filho do dono! Vai-te embora, carniça!

Jesus então atacou Satanás com um Tesouro do Céu e expulsou o safado dali. Fazendo isso, decidiu finalmente voltar para casa, agora bem-resolvido consigo mesmo e com a religião que criaria.


Outras aventuras do barulho
Isso é detalhe. Ninguém precisa saber.


Últimos momentos

Jesus já arrebanhara muitos seguidores, e sua missão na terra estava quase cumprida. Ainda havia uma última tarefa a fazer: seu próprio sacrifício. Mas, antes de ir, fez uma última jantinha com seus doze companheiros leais (uns não tão leais assim) para aproveitar seus últimos momentos. A janta foi fotografada por Leonardo da Vinci, que chamou o retrato de Última Ceia. Coisa de artista, todas as obras dele tinham que ter nome bonitão.

Durante a ceia, Ele pegou um pão grandão em suas mãos, deu graças e o partiu. E deu ao seus discípulos famintos dizendo:

- Comam, pois este é o meu corpo.

Os discípulos ficaram assustados por comer um corpo, e rapidamente beberam o vinho que tinha na mesa pra tirar o gosto. E Ele disse:

- Bebam, pois este é o meu sangue.

E assim os discípulos de assustaram de verdade! Além de comerem carne humana, beberam sangue! Porém eles não rejeitaram cuspiram a comida, pois todos sabem que é falta de educação vomitar no meio de uma janta. Ninguém queria fazer desfeita para o filho do Dono. Porém, Judas Priest Skywalker, o discípulo que foi para o lado negro da força, achou aquilo uma puta falta de sacanagem, e quis ir embora dali imediatamente. Mas para manter a aparências, Judas disse que sua esposa tinha ligado, mandando ele ir pra casa imediatamente. Jesus deixou-o ir, dizendo: "O que sua patroa mandou-lhe fazer, faça depressa".

Judas era um cara que já estava descontente há tempos com Jesus. Ele o considerava o novo messias, que tinha o poder e o direito de governar o país, pois tinha milhares de seguidores prontos para obedecê-lo e fazer revolução por Ele, se assim Ele ordenasse. Mas Jesus era paz e amor, não se interessava por essas coisas, e dizia que aquela não era sua missão. Cansado daquela reluta de Jesus, Judas ainda o seguia, mas apenas pela amizade. A gota d'água foi aquele canibalismo simbólico, e Judas não ia deixar barato. Ele estava disposto a trair Jesus, e assim o fez. Ele enviou um e-mail para o R7.com, o site da Rede Record, se identificando como um dos mais procurados seguidores de Jesus, e que estava preparado para entregar o esconderijo do hippie de Belém.

O e-mail chegou nas mãos de Edir Macedo, que ficou perplexo por finalmente conseguir achar o indivíduo que deixou seu rebanho cada vez menor, e por consequência, sua riqueza. Mas tomou cautela, se acalmou, e pensou que o e-mail se tratava de um fake. Não era a primeira vez que recebia aquele tipo de e-mail, pois houve muitos outros denunciando falsos messias, como Inri Cristo, alguns estudantes de Sociais barbudos e cabeludos quaisquer, Marcelo Camelo, ZZ Top e Bruno, o homem que se intitulava filho de Deus... Metal. Prevenido, Edir pediu provas da alegação de Judas, e eis que Judas enviou seu perfil do facebook e uma foto sua com Jesus. Edir então envergonhou-se de si mesmo, pois de tanto falar para seus fieis não acessarem a internet (para não correrem o risco de saberem que ele era um ladrão), ele acabou seguindo seu próprio mandamento e ficou desatualizado.

Sem mais demora, Macedo convocou secretamente os Gladiadores do Altar para se encontrarem com Judas, onde eles planejariam como capturar Jesus. Eles se reuniram próximos ao restaurante Cipriani, onde Ele realizava sua ceia. Escondidos a uma boa distância, os Gladiadores pediram que Judas fizesse um sinal para saberem qual dos barbudos e cabeludos daquele bando deveriam atacar, e Judas disse: "Será aquele que eu beijar". Os gladiadores então, pensaram: "Como és um servo de Edir Macedo, nós perdoamos seus pecados e também recomendamos uma das nossas sessões de cura gay depois desta missão, irmão. Amém?". E Judas respondeu: "Ow qual foi, djow, a gente é parça, vei, não é na boca não, é um abraço e um beijo só, é natural, ele faz isso com a gente, que ele é malucão, é tudo na broderagem, quase não vou encostar nele, pow". E um dos gladiadores emendou: "Então você é chegado nessas coisas também?", aprochegando sua mão da coxa de Judas. E Judas exclamou: "ow, sai, carai!".

Fora do restaurante, uma equipe de reportagem da Record já se instalava, juntamente com outros Gladiadores que faziam formação de batalha. Judas pensou: "Que emboscada sutil, hein!". E assim como os demais clientes do restaurante, os discípulos perceberam a movimentação estranha lá fora, e Jesus saiu para ver o que estava acontecendo. Nesse momento, Judas entrou em ação e se aproximou dizendo "Oi, voltei! Me resolvi lá com a Judite, eu vou poder ficar mais um pouco aqui!". Jesus então disse: "Eu sei que o selamento da nova e eterna aliança não pegou muito bem pra você, mas...", e se dirigiu para abraçá-lo e beijá-lo na bochecha. Foi então que seus lábios se encontraram com os de Judas, que também só queria beijar-lhe a bochecha, resultando num selinho acidental. Esse foi o sinal para os Gladiadores apareceram com fúria: "ATACAAAAAAAAR!!!". O vorazes servos de Edir capturaram o Salvador rapidamente e enfiaram-no dentro da van de reportagens da Record, dirigindo-se rapidamente para a sede da emissora. Enquanto isso, Judas fora perseguido por outros gladiadores que o acusavam de pecador, sodomita e g0y, que não aguentou a humilhação e se suicidou dias depois.

Toda a TV aberta foi bombardeada com as "boas" novas. "Falso pastor é preso", "Enganador é condenado", "Homem que se diz mensageiro de deus aguarda julgamento por seus crimes", entre outras manchetes que cairiam bem para os mesmos pastores que faziam as acusações. Mas isto era só o começo, pois um grande circo foi armado com Jesus. E Ele foi posto em praça pública para ser protagonista de um show de humilhação: o povo deveria decidir se queriam a liberação de Jesus ou de Suzane Von RixTóFen, uma meliante conhecida na época por ter arrastado os próprios pais 7 km do lado de fora de um carro, e ainda tê-los jogado do alto da janela de um apartamento. A votação foi assim:

- Boa noite, amigos da naaaaaaave! Se você quer que Suzane vá para a crucificação, ligue para 0500 2033 001, e se você quer que Jesus seja condenado, ligue para 0500 2033 02! Enquanto vocês votam, vamos dar uma espiadinha?

Passou um tempo... Jesus era chicoteado... a boa moça branquinha Suzane chorava... e o povo votava.

- Ligações encerradas! O eliminado desta vida foi... Jesus Cristo! Suzane, você volta para a liberdade, e olha: tem uma casinha novinha esperando por você! Cortesia do Gugu!

Assim, Jesus foi crucificado.



A Ressurreição
Três dias depois da morte do filho do Dono em rede nacional, Ele voltou à Terra. E as primeiras pessoas que o viram foram os Discípulos de Emaús, uma banda underground que se inspirou nos ensinamentos de Cristo. Depois de uma rápida jam com a banda, Jesus foi se encontrar com Maria Madalena, uma ex-paniquete que dedicou sua vida ao Salvador depois de ser salva pelo barbudo. Ela ainda estava cabisbaixa por ter perdido seu amante (lembram-se que foi Daniel Marrom que contou essa história pra este autor? Pois então, tá explicado esse fato controverso). Ela estava tão cabisbaixa que nem notou quando Ele pareceu andando em direção oposta à dela. Jesus ficou "quê?" por ser ignorado, e a chamou.

- Olá, Maria!
- Oi... snif, snif.

Maria se tocou de que era Ele e abriu o berreiro, gritando.

- AAAAAAAAAHHH ZUMBI!!!!! SOCORRO!!!!! CADÊ MINHA GARRUCHA QUANDO EU PRECISO DAR UM HEADSHOT NESSES ZUMBIS!!!!!1 AAAAAH!!!111!!"
- Ô Maria, sou eu!
- É NÃO!
- É sim!
- NÃÃÃÃÃO!!!
- Eu tô vivo!
- Eu só acredito vendo!
- Pois então, veja!

Maria parou de correr abestalhada e virou a cabeça para trás lentamente... e o viu, esplendoroso...


... e ainda assim, ela saiu correndo de medo.

- Que isso, Maria? Você não disse que só acreditava vendo?
- Disse, mas não era pra me mostrar não!
- E como é que vai ser agora, Mah?
- Vai ser assim mesmo, eu sem acreditar e você sem me mostrar!
- E a nossa sociedade, nossa velha amizade? Vão se acabar?
- Já acabaram! É contra meus princípios fazer sociedade com defunto!
- Mas estou vivo! Eu disse que ia voltar depois de três dias!

Maria lembrou dessa promessa, e finalmente acreditou. Ela se alegrou e foi junto de Jesus contar as boas novas para os discípulos, que estavam reunidos fazendo apostas sobre ele voltar naquele dia ou não. Tomé acabou perdendo a aposta.


Conclusão
A história de Jesus é linda, é beautiful. Ele foi o precursor de um estilo musical que ainda não havia sido criado! É como, sei lá, tocar "Johhny B Goode" antes de Chuck Berry, como fez aquele carinha do De Volta Para o Futuro. E este autor espera que você tenha se inspirado nessa história e pregue mais amor e paz na sua vida... e com muita cachaça pra acompanhar. Este autor fica por aqui, pois ele tem que terminar de comer a ceia, e você fica por aí fazendo sei lá o que. Adeusmetal \m/

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Sunday songs [08]: É Natal, é Natal...

Ho ho ho! Hoje é véspera de Natal! Dia de nascimento de Lemmy Kilmister e Isaac Newton! E também daquele hippie de belém, aquele que disse várias coisas bonitas, mas que tem certos admiradores que o envergonham.

E num raro momento em que este autor comemora uma data no dia certo (aleluia!), a Bíblia vai mostrar um monte de canções natalinas interpretadas pelas nossas amadas (e marketeiras) bandas de Rock!

Poucas canções são autorais, já que a maioria delas são versões de clássicos natalinos, como "Run Run Rudolph" e "Jingle Bell Rock", que nós brasileiros conhecemos graças aos filmes e seriados americanos. Graças a esses enlatados, nós não ficamos fadados a conhecer apenas as músicas bem bregas tipo "Ei irmão, vamos seguir com féééé... tudo que ensinooooou... o homem de Nazaréééééééé...".

Este autor vai colocar alternar as versões e as músicas autorais. Divirta-se, e boa véspera do dia pagão de adoração ao sol!

OBS: se algum link não estiver mais disponível, avise pra este autor, por favor.

Another Rock and Roll Christmas por: Iron Maiden

Rocking Around The Christmas Tree por: Firehouse



quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Indicação: Deflektor e o Quarto dos Espelhos

Muito bom dia! Ou muito boa tarde, porque esse artigo foi publicado exatamente ao meio-dia, no limiar entre o "bom dia" e a "boa tarde". Não importa. Desta vez este autor faz questão de cumprimentar o leitor, só por causa dessa indicação. Deflektor e o Quarto dos Espelhos foi recentemente lançado pelas livraria Cultura de São Paulo e Curitiba, e é o primeiro livro de uma saga de sete livros, sendo que cada livro contém sete contos.

E como se não bastasse a repetição desse número sagrado, essa obra tem um diferencial: cada capítulo contém um código QR, que o leitor pode ler com seu smartphone, e assim, ter acesso a músicas compostas especialmente para o livro! E todas as músicas são composições originais da banda de Rock curitibana Deflektor, que executa um som intenso e atmosférico, mas sem perder o ritmo e o peso.

Em resumo, Deflektor é um projeto que une Literatura e Música, que convida o leitor a imergir na história através de ambas as artes. Todavia, esse projeto não se sustenta ou se destaca apenas pela sua forma original e diferente de se apresentar, mas também pelo seu conteúdo em si, que é um deleite.


Autores: Kelwim Willian, Ralph Sant'Anna e Ramon Tagore
Editora: Editora Garcia
Número de páginas: 82
Formato: 21 cm x 14 cm
Onde comprar

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Jimi Pages VI

E sedes bem-vindos à série que faz vocês se lembrarem porque este blog se chama "Bíblia do Rock"! É muito incoerente (e pretensioso) um blog se chamar de "bíblia" sem ter textos falando sobre o sobrenatural, sobre a origem do universo, sobre a natureza das criaturas, sobre as lendas e histórias ancestrais, sobre fé e adoração, etc.

E nesta edição, Jimi consegue ter uma ampla visão sobre os bastidores da criação e consegue detalhar inclusive o início do início de tudo. Esta será a edição mais "cristã", e vocês vão entender porquê.


Jimi Pages VI

Há muito, muito tempo, antes do Rock vir a nascer, antes da cosmogonia nórdica ser realidade, antes mesmo de Midgard ser moldada pela tríade sagrada, e do furor da guerra titânica entre deuses e gigantes estremecer o cosmos, dois seres de princípios opostos nasceram do suor de Ymir. E dotados da capacidade de gerar coisas a partir do nada, estes seres foram os deuses originais, as primeiras divindades a existirem no vazio. Contudo, estas divindades apenas vagavam pelo cosmos, refletiam sobre sua natureza, e assistiam as atividades dos gigantes e dos Aesir, sem nada gerar até então.

E quando o ímpeto por criar coisas próprias se aplacou sobre esses deuses, eles formaram uma dimensão paralela, aonde poderiam ter a liberdade de criar o que quiser, sem interferir nas obras dos novos deuses Wotan, Vili e Vé, nem fomentar guerras com eles. E esta dimensão paralela era repleta de imensidão e luz, munida de graça e pujança estonteantes. E quando terminaram de moldar seu paraíso, os deuses deram vida a inúmeras criaturas luminosas, dotadas de consciência e de grandes prodígios e talentos.

Em determinando momento, o paraíso foi palco de uma terrível guerra entre os luminosos. A terça parte deles foi tomada pelo ciúme e pela ganância, e desejou ter mais prodígios do que já tinham, sendo tão ou mais grandiosos que os deuses. Transformada num campo de morte e destruição, aquela dimensão iluminada manchou-se de dor com aquele massacre, que enfim teve seu desfecho quando os insurgentes foram vencidos pelas hostes que defendiam os deuses. E como castigo por suas ambições mesquinhas, os insurgentes que sobreviveram à hecatombe foram banidos da sua morada paradisíaca e exilados em Midgard, que sendo um mundo material, limitou extremamente seus prodígios outrora admiráveis.

Embora a maioria dos luminosos tenha se mantido reta, íntegra, e não tenha se revoltado contra seus criadores, os deuses se entristeceram com sua obra e se afastaram de seu paraíso, para se isolarem e refletirem. E aconteceu que, pairando sobre o sangue de Ymir, que se tornou mar, os deuses decidiram tentar aprimorar a criação extraordinária de Wotan, Vili e Vé, criando seres frágeis e sem prodígios extraordinários, mas com liberdade, perseverança e inteligência suficientes para prosperarem.

Seguindo o exemplo de Ask e Embla, os deuses conceberam Adão e Lilith, sendo os primogênitos de sua nova espécie, planejada para se adaptar à terra, e colonizá-la com seus descendentes. Entretanto, Lilith era indomável e maliciosa, pois tinha consciência, tal qual os luminosos. Escolhendo assumir um lado sombrio, Lilith foi excluída dos planos dos deuses e condenada a vagar pelo mundo sem auxílio nem direção. Assim uma nova consorte idônea foi criada para Adão, e esta se chamou Eva. Sendo gerada sem consciência total, Eva era inocente quanto ao bem e o mal, e dessa forma, manteve-se benigna.

Foi então que os insurgentes exilados, servindo-se de sentimentos de ódio e ressentimento, juraram confrontar e vencer os deuses, destruindo e debilitar suas obras. E começaram sua vingança buscando corromper o coração de Eva, para que os novos filhos dos deuses não viessem a frutificar e terminassem caindo em desgraça. Assim um exilado transmutado na forma de serpente se achegou a Eva e a inspirou ideias de rebelião mascaradas de questionamentos, e de libertinagem mascaradas de liberdade. Adão, na sua consciência do bem e do mal, aceitou naturalmente as novas atitudes de sua companheira, pois interpretou-as como amadurecimento pessoal. E assim, o casal primogênito foi plenamente corrompido.

Exaustos e frustrados de sempre verem suas criaturas caindo em decadência, os deuses se encheram de ira e baniram os insurgentes para Muspelheim, para sofrerem e agonizarem com o fogo incandescente daquele mundo primordial, até subsistirem e morrerem nas suas chamas eternas.

Já livres da cólera, mas ainda profundamente angustiados, concluíram os deuses que qualquer vida dotada de consciência, teria naturalmente a vontade de escolher seu próprio caminho, fosse um caminho iluminado de longanimidade, ou um caminho sombrio de decadência. E sem consciência total, os seres seguiriam sem desvios pela retidão, e todavia, não teriam capacidade de prosperarem ou de progredir, e por isso, suas vidas não teriam beleza nem vigor. Assim, vencidos e exauridos pelo impasse, decidiram os deuses abandonar aquela dimensão e entregar suas criaturas geradas ao livre-arbítrio, sem mais guiá-las nem avistá-las.

Entretanto, ainda dotados de piedade, pediram os deuses, aos seus filhos luminosos, que eles preservassem as vidas dos seus filhos frágeis de Midgard, sem, no entanto, interferir em seus cursos. Entendendo que aquele era um pedido, e não uma ordem, parte dos luminosos se engajou em proteger os mortais, enquanto outros escolheram se inflar de orgulho e não se curvarem a criaturas consideradas inferiores e imperfeitas.

Em Midgard, alguns exilados conseguiram escapar da condenação às chamas de Muspelheim, pois se esconderam nas entranhas da terra, nas fendas do mar, nos abismos profundos e nas terras ermas e longínquas. E vagando sobre o mundo, eles se elevaram como ídolos perante os mortais primitivos, sendo cultuados como deuses.

Em Muspelheim, os exilados mais fracos sucumbiram e definharam, e os mais fortes se adaptaram ao fogo, e se tornaram gigantes, demônios, espíritos imundos e grotescos, liderados por aquele que um dia fora o mais reluzente dos luminosos. E os mortais o conhecerão como A Serpente, o Príncipe das Trevas, Satanás, e Surtur.

E por desobedecer aos planos dos deuses e escolher o caminho das sombras, Lilith se juntou a Satanás e às suas hordas nefastas. E com poderes concedidos pela serpente, Lilith se transformou num demônio inigualável, um pássaro noturno, a soberana das trevas, empenhada a espalhar o caos e a devassidão por Midgard.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

O Saudosista

Outro típico exemplar da fauna rockeira é o Saudosista. Possuindo mais idade que a maioria dos rockeiros da sua espécie, o Saudosista é um veterano do Rock que já viveu poucas e boas e que tem muito carinho e nostalgia pelas suas desventuras joviais.

O Saudosista é comumente conhecido como aquele tiozão que inspira sabedoria e vivência, que está sempre disposto a falar das suas loucas experiências juvenis à nova geração - mesmo que ela não queira ouvir. Mas não importa o tamanho do interesse do ouvinte, o saudosista sempre embala suas histórias com muita emoção e paixão na sua fala. Cada palavra é impregnada de um fogo ardente de excitação e empolgação, que faz o ouvinte se admirar com suas histórias. Algumas podem até não ser tão empolgantes assim, mas todas são contadas de forma épica.

E é esse um dos motivos para o Saudosista ser o que é. Ele gosta de fazer as pessoas ficarem admiradas com seus momentos de glória. Pois ele já viu bandas nascerem e caírem, já assistiu a shows de bandas clássicas, acompanhou pessoalmente os lançamentos das bandas (e ainda guarda seus exemplares ainda hoje), viu aquelas bandas novas consideradas "bandas que prometem" crescerem e chegarem lá, viu bandas ascenderem e decaírem, acompanhou de perto as reviravoltas nas trocas de integrantes das bandas, as picuinhas pessoais, as fofocas dos artistas e tudo que rodeava a vida pessoal e profissional das bandas, como se fosse um assíduo telespectador do TV Fama (mas um TV Fama true). Enfim, o Saudosista viveu muita coisa boa, boas o suficiente para fazê-lo ter muita saudade dos velhos tempos.

Especialmente porque o Saudosista também viu e viveu pessoalmente o "decaimento" do Rock, o que o faz ter ainda mais saudades de antigamente. Ele viu as TVs pararem de exibir tantos videoclipes de Rock; ele viu o fim da pirataria de fitas cassetes de obras das bandas, como também o crescente desinteresse (ou incapacidade) das pessoas por comprarem os vinis, discos, cassetes e etc das bandas; viu de perto a transformação da sua cena, que ficou cada vez mais apinhada de gente nova que parecia não entender "de verdade" o estilo; acompanhou as mudanças no cenário do Rock e Metal e seus estilos novos (Pop Punk, Post-Hardcore, Soft Rock, Rock Alternativo, Rap Metal, etc); viu como o Rock foi sendo distorcido pela mídia, fazendo o povo ter uma visão superficial ou equivocada do gênero, uma vez que o Rock "de verdade" foi sendo substituído pelas bandas novas que não tocavam Rock tradicional, e por aí vai. O foco nessas coisas negativas faz o Saudosista ser o que é, um sobrevivente de uma era de ouro.

Inclusive o excesso de saudosismo pode fazer o indivíduo contrair uma doença tão grave quanto a Síndrome de Underground, que é a Síndrome da Era de Ouro. Essa síndrome faz os doentes se dizerem "old-school" e rejeitarem tudo que é novo: bandas novas de estilos alternativos, bandas novas de estilos baseados nos clássicos, bandas novas que imitam perfeitamente o som antigo, inclusive bandas clássicas que ainda estão ativas! Porque anda que essas bandas clássicas fizer hoje vai ser tão bom quanto o que ela fez no passado.


"Essas bandas deviam morrer, não fazem mais nada que preste. Antigamente eram boas, mas hoje são totalmente irrelevantes", diz o indivíduo com a Síndrome da Era de Ouro.

Alguns chegam a ficar tão old-school que só se permitem gostar do primeiro e segundo (e com muita força, o terceiro) álbuns de uma banda, pois aqueles são os álbuns essenciais, o primogênito, o que trazia a identidade mais fiel do grupo. Não importa se a banda fez discos melhor produzidos, mais criativos e mais evoluídos depois, pois o Saudosista extremista só gosta das primeiríssimas coisa da banda. Você pode achar exagero, mas isso é exatamente o que acontece com o Metallica, por exemplo.


Mas fora os exageros, todos temos um pouco de Saudosista em nós mesmos. Embora nós não tenhamos a mesma vivência e experiência dos tiozões, nós podemos muito bem preferir a fase old-school das nossas bandas queridas (e nesse momento, você está pensando em várias bandas que trocaram o vocalista). E podemos até ter uma resistência às bandas e estilos novos, e também rejeitar a forma que o Rock/Metal estão sendo conduzidos atualmente, mas isso é natural. O ser humano gosta de conforto, e por isso, se apega ao que já conhece. Nesse caso, ao passado. Porque a cada dia, o futuro parece mais sombrio, mas o passado, mesmo as piores partes, vai ficando cada vez mais e mais brilhante. E colorido, apesar de ser relembrado em tons de sépia.

Por fim, saudosismo e nostalgia são bons, se usados em doses controladas. Mas pensar em aceitar totalmente o futuro também não é uma coisa recomendável, senão, vamos aceitar qualquer porcaria que aparecer. Por isso, vamos buscar um meio termo entre as duas coisas. Porque o passado é história, o futuro é um mistério, mas o agora é uma dádiva. Por isso se chama "presente". E é com essas citações de Watchmen e Kung Fu Panda que este autor diz adeusmetal.

domingo, 20 de dezembro de 2015

Músicas conhecidas de músicos desconhecidos

Olá meus queridos amigos, tudo bem com vocês? Tô aqui de volta para mais um Curiosidades, eu sou Felipe Castanh... *caham* Eu sou o profeta, e este é mais um post de curiosidades, que é um post que você poderia muito bem ler em outro site, mas que você vai ler aqui, porque o profeta tá mandando, e a autoridade dele é concedida por Deus Metal. Então leia esse post até o final para ir pra Valhalla.

Sabe aquela música que você adora, que os seus amigos adoram, e que todo mundo conhece desde sempre, e que até hoje é reproduzida em comerciais, programas de TV, rádios... mas que ninguém sabe de quem é?

Pois é, não é só você que "conhece" uma música dessas, todo mundo conhece! Dá agonia a gente gostar de uma música que a gente sabe que não sabe de quem é e que ninguém mais sabe também, apesar de todos saberem qual é... né? É tão agoniante quanto tentar entender essa última frase.

Por isso, nós abrimos bem os ouvidos, e aproveitamos bastante aquela música misteriosa, saboreamos cada segundo dela até o seu fim, na esperança de que num futuro próximo, ela seja tocada novamente. Geralmente, esse futuro próximo ocorre, em média, 10 anos depois, quando um conhecido vai mostrar as músicas que ele tem no celular. "Opa, já ouviu essa música aqui? Ela é muito boa, escuta só". E nesse momento de redescoberta, você exibe exatamente estas reações abaixo:

Primeiro, o choque.

Segundo, a explosão de alegria.

Mas, graças a este artigo, você não precisará esperar décadas para descobrir quem canta as malditas músicas que todo mundo conhece!

E você que já é fã assíduo do blog, já deve ter lido esse artigo antes da Grande Reforma e está achando que não vai ver nenhuma novidade, maaas engana-se! Pois este artigo foi inteiramente reformulado. Acontece que este autor percebeu algo muito importante: boa parte das músicas apresentadas nos posts antigos (dois ao todo) eram canções que poderiam ser facilmente encontradas e descobertas, pois eram alguns dos maiores sucessos (senão o maior sucesso) de suas bandas! Por exemplo, se você procurar pelo White Stripes, automaticamente já vai encontrar "aquela música lá, que o Fernandinho Beatbox imita, e que tem o clipe todo preto, branco e vermelho com triângulos!".

E foi reconhecendo isso que este autor decidiu, antes de tudo, fazer uma listinha rápida com "aquelas músicas que todos conhecem, que ninguém sabe o nome", MAS que podem sr encontradas facilmente:
  • White Stripes - Seven Nation Army (aquela que o Fernandinho Beatbox imita)
  • The Verve - Bittersweet Symphony (aquela do comercial do Bradesco)
  • Supergrass - Alright (aquela música bem feliz, que é mais ou menos assim: "iá iá, iá pim, iá sim, eza plim...)
  • The Who - Baba O' Riley (aquela abertura do CSI: Miami)
  • Creedence Clearwater Revival - Have You Ever See The Rain? (aquela dos comerciais de carro)
  • David Bowie - Starman (aquela música que teve uma versão brasileira Herbert Richers, que era assim: "Sempre estaaaaar láááá e ver ele voltaaar....")
  • The Eagles - Hotel California (aquela que seu pai ouve até hoje)
  • The Police - Every Breath You Take (a música preferida dos stalkers)
  • Queen - We Will Rock You (aquela que você faz TUM TUM TÁ), Love of My Life (aquela dos comerciais de Dia dos Namorados), Under Pressure (aquela do comercial que fala "ice ice baby"), entre outras
  • Joan Jett & The Blackhearts - I Love Rock N Roll (Aquela que tem mais refrão do que instrumental)
  • The Clash - Should I Stay Or Should I Go (Aquela que canta "xura stei ô xurai gol" que o Mamonas Assassinas fez um cover)
  • Ramones - Blietzkrieg Bop (a "hey ho, let's go" para os leigos)
  • Steppenwolf - Born To Be Wild (BÓÓÓÓ TU BI UAAAAAAAAAAAI)
  • Europe - The Final Countdown (a música que fala de fim do mundo, mas que é animada por causa do tecladinho), Superstitious
  • Survivor - Eye of The Tyger (a música do Rocky)
  • Journey - Don't Stop Believing (a música que demora pra caramba pra chegar no refrão, que é a única coisa que as pessoas querem ouvir)
  • Boston - More Than a Feeling (aquela que sempre está nas coletâneas de "Love Metal")
  • Whitesnake - Is This Love (aquela que está sempre nas coletâneas de músicas românticas, de qualquer estilo)
  • Van Halen - Can't Stop Loving YouJump (Aquela que inspirou Sandy & Junior a compor o clássico "Vamo Pulá"), Panama (aquela que faz você ser nacionalista por um outro país)
  • Aerosmith - Dream On (aquela que fala "sim for" tal coisa, "sim for" outra coisa, "sim for" tudo)
Existem várias outras músicas que podem ser achadas facilmente, mas elas serão listadas no próximo post dessa série (hehe).

Agora prepare-se pra ficar com essas reações:


Alphaville - Forever Young

Alphaville é uma daquelas bandas com nome de lugar, cujos maiores sucessos são baladinhas românticas, ao invés do Hard Rock, que é o verdadeiro som que essas bandas tocam. Só essa introdução já causa nostalgia nos mais velhos, e esse refrão abre um sorriso na alma das pessoas que é lindo de ver. É uma música muito brega, sem dúvidas. Mas são justamente essas músicas bregas que causam mais comoção.

Mr. Big - Wild World

Em 1993, essa canção era trilha sonora da novela global Sonho Meu, então você já tem uma ideia do impacto que ela teve por aqui. Até hoje essa canção é lembrada por coletâneas de músicas retrô, e seu refrão alarmista entra profundamente nas nossas almas. Sim, amigo. Este é um mundo selvagem. Um mundo cruel. Um mundo créu.

America - A Horse With No Name

Aí, mais uma banda com nome de lugar emplacando mais um clássico, que é reconhecido imediatamente pelo seu violão, e logo mais, pelo "laaa laaa lalalala la lala la laaa la...". Aliás, foi por causa dessa música (e outras) que este autor teve ideia de fazer essa série de posts.

sábado, 19 de dezembro de 2015

Indicação: The Beatles - A banda que revolucionou a história do rock

Esta indicação é um guia para todos que querem iniciar seu conhecimento sobre a carreira e história dos Beatles, como também um manual com informações essenciais e relevantes sobre: os integrantes e ex-integrantes do quarteto; sobre as pessoas que ajudaram sua carreira por detrás dos panos, como seus produtores; sobre as aparições da banda nos cinemas e na televisão, entre outras curiosidades e fatos desconhecidos ou pouco comentados do grande público. E ainda é recheado de ilustrações e fotos raras e uma discografia completíssima de todas as obras lançadas pela banda!

Os garotos de Liverpool – John, Paul, Ringo e George – mudaram o mundo na década de 1960, mas, até hoje, conquistam fãs mundo a fora. Nesta edição The Beatles – A banda que revolucionou a história do rock, traz um pouco desse quarteto que ganhou gerações. É o livro para todo beatlemaníaco ter em casa. Fotos, curiosidades, revelações, discografia completa (versões inglesa e americana) e uma lista com filmes e programas de TV que retrataram esse fenômeno, enchem as páginas dessa edição mais do que especial. The Beatles mudaram a maneira de fazer e escutar rock n’ roll em todo o mundo. Mesmo cinco décadas depois, sempre que alguma banda decide fazer cover de alguma música da banda, levanta a plateia – novos e antigos fãs. Mergulhar nas páginas dessa edição será como viajar dentro do famoso Yellow Submarine.

Autor: Idealizado pela Editora Discovery Publicações
Número de páginas: 80
Formato: 17 cm x 24 cm
Preço: R$ 19,90

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Guerra santa: Homem de Ferro X Megamente

De onde este autor tirou essa ideia de botar dois personagens nada a ver brigando? Bom, nem este autor sabe. Ele só sabe que você verá agora uma batalha espetacular entre dois personagens rockeiros, fictícios e carismáticos! Vamos lá!






Iron
Man

X
Mega
mind










quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Agora um poema [03]: Iron Maiden

Gata, meu amor por você é maior que "Rime of the Ancient Mariner", que "Sign of the Cross", "When the Wild Wind Blows", "The Red and the Black", "The Book of Souls" e "Empire of the Clouds"!

Romântico, não? Mas se você quer impressionar sua cônjuge de verdade, mostre pra ela este poema formado pelos títulos das músicas do Iron Maiden, e torça pra ela entender inglês. Do contrário, você não vai ganhar nudes.



I was known as The man of sorrows
The Prisoner of a Purgatory
With a strong and Burning ambition

I was desperate to live Another life
Eager to Reach out a Different world
To fly Where eagles dare
And realize my Wildest dreams
Then That girl came to me
An Iron maiden with Silver wings
Which was Brighter than a thousand suns
She led me to a Brave new world
And felt like I was Coming home
Then she said: "Here is our Sanctuary
Where we'll live From here to eternity"

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Dobradinha: SOTO e Eclipse

Oba, mais resenhas de lançamentos de 2015! Mas não é de nenhuma banda do calibre do AC/DC ou do Iron Maiden, que também lançaram discos esse ano. Essas bandas grandes, este autor pretende fazer resenhas rápidas no ano que vem.

O quê??? As retrôs vão voltar???!!!

Não. Com certeza, não no tamanho das retrôs antigas, que eram tão gigantescas que reuniam 20 discos de cada estilo em vários artigos. Mas este autor pretende sim dar uma visitada pelos principais lançamentos de 2015 e escrever breves impressões sobre eles.

No passado, este autor não se arriscaria a prometer algo que não pode cumprir e que tem enorme preguiça de cumprir, mas isso é passado. Como este autor conseguiu cumprir a meta de publicar um artigo por dia nesse mês de dezembro, isso lhe dá confiança e gás para cumprir metas futurísticas.

Mas agora falando sobre o presente, nesse post você vai conhecer duas bandas de AOR que investem numa sonoridade mais habituada aos tempos atuais, podendo receber o rótulo de "Rock Moderno". Confira:


Eclipse - Armageddonize

Ano: 2015
Estilo: Hard Rock melódico
Gravadora: Frontiers Records
Sobre a banda: Eclipse é uma banda que se você procurar no google, vai acabar encontrando o terceiro livro da saga Crespúsculo, então sempre procure "Eclipse band". Ela é uma banda sueca que nasceu em 1999, e os detalhes não interessam muito: a banda sempre tocou Hard Rock/AOR, teve que dar uma parada no meio da carreira por conta de dificuldades pessoais dos integrantes, já lançaram quatro álbuns sem contar esse, e seu vocalista Erik Martensson participa como guitarrista do supergrupo de AOR W.E.T, que também conta com a participação de Jeff Scott Soto, que por pura coincidência, é o próximo artista a ser resenhado! Sim, tudo isso é mera coincidência.
Sobre o CD: Diferentemente das bandas clássicas do chamado Hard Rock Melódico/AOR, que investem mais na melodia e menos no peso e na agilidade, o Eclipse dá atenção ao peso e à melodia, colocando ambas as coisas no mesmo patamar. Essa proposta de equiparar essas duas pegadas, que parece ser a tendência das bandas de Rock e Metal atualmente, é demonstrada nesse álbum por meio da união entre a voz e sonoridade limpa e luminosa com a cozinha forte, intensa e vigorosa. Ao longo da audição do disco (este autor quase falou "ao longo do play", tal qual os críticos chatos) vamos sendo apresentados à diversidade de composição das canções e à fluidez do álbum, onde as músicas terminam e acabam sem se notar, tanto terem pouca duração, quanto por manterem uma certa homogeneidade no seu tom. Agora falando mais especificamente das faixas: "Blood Enemies" tem uma guitarra muitíssimos inspirada. A balada "Live Like I’m Dying" é a balada mais "de macho" que você ouvirá em muito tempo, por conta do seu tom cadenciado. "Breakdown" flerta com o Country enquanto as últimas faixas investem mais no Heavy Metal com pouca melodia e mais "punch". Por fim, "Armageddonize" é tanto uma boa porta de entrada para conhecer o Eclipse, quanto uma boa pedida para quem procura por um Hard Rock menos ácido e mais "beleza", além de ser uma boa pedida pros fãs de AOR que estão enjoados de bandas sem peso.
Faixas:
01. I Don’t Wanna Say I’m Sorry
02. Stand on Your Feet
03. The Storm
04. Blood Enemies
05. Wide Open
06. Live Like I’m Dying
07. Breakdown
08. Love Bites
09. Caught Up in the Rush
10. One Life – My Life
11. All Died Young



SOTO - Inside The Vertigo

Ano: 2015
Estilo: Heavy Metal
Gravadora: earMusic
Sobre o artista: Jeff Scott Soto é um cara experiente. Além de ser vocalista, guitarrista, compositor e trompetista, já atuou com Yngwie Malmsteen, Talisman, Axel Rudi Pell, Journey e com várias outras bandas, tanto sendo integrante fixo, como fazendo participações especiais. É considerado um artista talentoso e muito imaginativo, essencial para quem curte Rock com sonoridade mais melódica.
Sobre o CD: Não, este não é um disco de AOR. Quem já está acostumado com a sonoridade melódica e intensa que Soto executa com tanto manejo, vai certamente se surpreender com "Inside The Vertigo" e sua pegada mais forte, agressiva e cadenciada. Mas pra quem não conhece o trabalho do dito cujo, este vai ser um disco de Metal que não tem aquela típica voz rasgada, nem uma pegada absolutamente pesada e grave. É desse jeito que a coisa funciona, com elementos daquele Heavy Metal clássico com um toque de limão de melodia. E o disco é conduzido assim: temos as duas primeiras músicas "Final Say" e "The Fall", que batem o pé na porta, pra começar o álbum com tudo. Depois a agressividade vai se condensando, se equilibrando com os elementos melódicos, tem o ritmo mais moderado... Até chegar no ápice da união dos dois elementos, na faixa "End of Days", que tem 9 minutos. Praticamente um épico. A partir daí, as músicas pegam o espírito de "End of Days" e investem mais na melodia e na sofrência típica da sonoridade de Jeff, apesar de ter o timbre mais cadenciado. E por fim, "Fail To Pieces" acorda o ouvinte com sua pegada mais marcante (que as faixas anteriores). Pode-se dizer que "Into The Vertigo" é perfeito na ordem das músicas, pois define bem o clima e tom que quer passar, e não deixa nenhuma canção destoada do conjunto. E por sua proposta de deixar as músicas de Jeff mais graves e pesadas, "Into The Vertigo" com certeza é um marco na carreira de Soto. Mas pra você que não tá nem aí pra quem é esse cara, provavelmente vai querer ouvir coisas mais pesadas e mais agressivas, o que é seu direito. Mas quem quiser procurar Metal mais "sensível", vai encontrar aqui.
Faixas:
01. Final Say
02. The Fall
03. Wrath
04. Break
05. Narcissistically Yours
06. End Of Days
07. Inside The Vertigo
08. When I'm Older
09. Trance
10. Jealousy
11. Karma's Kiss
12. Fail To Pieces

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Negros no Rock e Metal

Apesar do Rock ter origem nos estilos musicais desenvolvidos pelos negros norte-americanos, como o Blues, R&B, Jazz, e outros, dá pra contar nos dedos o número de negros que fizeram parte da história do Rock. Até hoje, as nossas maiores referências de negros no Rock são Jimi Hendrix e... só.

E quando a gente resolve procurar sobre "negros importantes na história do Rock" na internet, nos deparamos com matérias extremamente superficiais que:
  • Sempre mostram negros de bandas de Rock/Metal Alternativo (como Chuck Mosley do Faith No More). E se é Alternativo, já não conta.
  • Sempre mostram negros de bandas novas e underground. E se essas bandas são NOVAS e DESCONHECIDAS, os negros dessas bandas não são importantes na história de porcaria nenhuma!
  • Sempre mostram artistas negros que não são do Rock, como James Brown, Prince, Bob Marley, Lenny Kravitz, até mesmo Michael Jackson, que não foi negro por toda a vida!
Por causa disso, este autor resolveu fazer uma listinha com negros importantes na história do Rock DE VERDADE, e que não são Jimi Hendrix, nem Derrick Green do Sepultura, porque eles são muito manjados. E nem caras como Little Richard, B B King, Chuck Berry, porque esses já tem seus nomes conhecidos e consagrados. Nesta lista você verá negros que nem este autor conhecia, até fazer a pesquisa pra escrever esse post.

Mas antes de ir pra essa listinha, é válido um pouco de aula de História pra entender porque tem tanto pouco negro no Rock. Acontece que na época em que o Rock estava nascendo, lá na década de 50, a sociedade norte-americana era extremamente racista, e tudo que os negros faziam (em relação a costumes, cultura, etc) era desvalorizado. Por isso, quando os negros pariram o Rock, precisou de um tal de Elvis Presley e de outros branquelos para trazer o Rock para o mainstream e para ele ser valorizado pelo povo (ou melhor, pelos brancos). Dessa forma, o Rock atingiu o público branco, ganhou a "aprovação" dos brancos, levou vários outros brancos a gostarem desse estilo e inspirou vários brancos a tocarem Rock. Enquanto isso, os negros continuaram tocando Rock, Buddy Guy, Chubby Checker e outros continuaram com carreiras sólidas, mas sendo preteridos aos poucos. O que fez cada vez menos negros se interessarem por Rock e se sentirem representados pelo estilo. Assim eles continuaram desenvolvendo seus próprios estilos, como o Funk e Soul, enquanto os brancos se "apropriaram" definitivamente do Rock.

No fim, cada "raça" se apegou aos seus próprios estilos musicais, e a sociedade acabou se acostumando com isso. E quando eu digo "a sociedade", este autor inclui a gente também. Você e eu. Por isso ficamos surpresos ou admirados vendo um branco cantar Hip Hop, ou um negro tocar numa orquestra filarmônica. E quando vemos um negro curtindo Rock? Nós já pensamos imediatamente: "UAU! Parabéns, hein! Em vez de escutar Pagode e Funk como os outros...". É assim que pensamos, negros escutam Axé, Samba, Pagode, Funk, e os brancos ouvem MPB, Rock, Pop, Eletrônico, Sertanejo Universitário Baladeiro De Topetinho, etc.

Mas os negros que você vai ver a seguir foram além dos estereótipos e entraram na história do Rock, apesar de não serem reconhecidos:


Banda: Black Merda
Estilo: Rock e umas misturas daquela época
Esta é a auto-intitulada primeira banda de Rock totalmente negra do mundo! E o nome dela parece uma espécie de auto-racismo, né? Acontece que a palavra "merda" é uma maneira estilizada da palavra "murder". Ou seja, "Black Merda" significa "assassino de negros" em inglês, e esse nome é em protesto pela quantidade de negros mortos pela polícia e pela KKK naquele época. Essa banda nasceu em Detroit em 1968, formada por Anthony Hawkins, Charles Hawkins (irmãos), VC L. Veasey e Tyrone Hite, e tocavam um som condizente coma sua época: um Rock com boas influências do Soul e do som psicodélico executado pelos artistas do final da década de 60, com experimentalismo e diversidade. A banda lançou dois discos, "Black Merda" em 70 e "Long Burn the Fire" em 72, e depois morreu em 75 por conta das baixas vendas de discos, fazendo os integrantes se dedicarem a trabalhos tocando Soul e R&B. Mas eis que o Black Merda retoma suas atividades em 2005 (sem Tyrone Hite), relançam seus álbuns antigos e lançam novos, o "Renaissance" de 2006 e "Force of Nature" em 2009, e continuam na ativa até hoje, vivendo sob seu título de "primeira banda negra de Rock" e como fósseis veneráveis que merecem ser expostos para as futuras gerações.