sexta-feira, 18 de abril de 2014

O que aprendemos com a Globo sobre o Rock


Imagine uma rede de comunicação poderosíssima, com milhões de filiais, bilhões de profissionais e zilhões de telespectadores. Uma rede assim certamente teria um poder de influência gigantesco, fazendo você amar e odiar o que ela quisesse, desde um desenho animado até um partido político. E imagine que esta rede não usa seus poderes para o bem. Pronto, pensou em Globo!

Já é modinha falar mal da Globo sem sustentação, falar pelos cotovelos que ela é falsa, tendenciosa, manipuladora, que "a Globo mente", etc. Mas como os jovens atuais podem falar isso se não tem contato direito com a emissora, enquanto vivem na internet e só dão uma espiadinha na TV pra ver as séries dos canais fechados? Pois bem, este artigo serve pra todos se informarem e terem embasamento sobre como a Globo é mentirosa, tendenciosa e os escambau. Mas este autor não vai falar sobre suas notícias que difamam políticos ou estratégias que ajudam políticos a serem eleitos, nem vai falar sobre sua cobertura manipulada de protestos populares ou de suas armadilhas pra favorecer pessoas em seus programas. Nem mesmo falará sobre o documentário que ela proibiu de ser exibido no país por falar verdades. Este autor vai falar sobre Rock!

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Estereótipos: Biografias do Metal

Bem-vindos à segunda parte do artigo que relata biografias de bandas que não existem, mas que servem pra mostrar como todas as biografias são padronizadas. A primeira edição recebeu um surpreendente feedback, obteve muitas visualizações pra um texto grande que quase não tem humor. Pelo jeito muita gente ficou interessada em ler biografias de bandas fictícias (que imitam as verdadeiras), então tomara que esta edição seja um "sucesso" também! Vamos lá:


Iron Eagle
O Iron Eagle nasceu em Manchester em 1971 com o nome de Skyward Buzzard, tendo a sonoridade semelhante ao do Deep Purple e Led Zeppelin. A banda era odiada pelos críticos por ter uma sonoridade muito "suja" e por suas experimentações inovadoras para a época não agradarem os seus ouvidos frescos que não entendiam como a banda estava a frente do seu tempo. Entretanto, os fãs eram fieis e leais ao quarteto, que conseguia a admiração de vários jovens e rebeldes.

Tudo ia bem, quatro discos lançados (com o último sendo considerado o melhor de sua carreira) até que o líder, vocalista e baixista Ian Miller teve uma briga de egos com os guitarristas Brad Grey e George Coulson, que discutiam os direitos autorais das músicas. A banda permaneceu num clima instável durante sua última turnê e isso culminou na saída de Ian da banda, dando a desculpa de que queria se dedicar a projetos mais interessantes, pois segundo ele, o Skyward Buzzard estava se tornando pop demais com o passar do tempo. O restante da banda queria voltar à ativa, mas teve que se reinventar.

Em 1979, ela voltou com o nome de Iron Eagle, com os novos integrantes Robert Hayes e o vocalista Zack Tyger, que havia ganhado fama na sua antiga banda, a novata Dwarv. Em 1980 o Iron Eagle lançou seu primeiro disco homônimo, tendo como sucessos as músicas "Killer Kings", "Glory Rider" e "Crashing The Wall", se tornando um dos discos mais aclamados da dita Nova Onda do Metal Britânico. Depois desse retorno triunfal, o Iron Eagle teve uma carreira bem-sucedida e sólida até a morte de Brad Grey por câncer. Depois tudo ficou instável, com Zack fazendo carreira solo e tendo um substituto que não estava à sua altura, e também a mudança da banda em apostar em influências diferentes da NWOBHM, entre outras coisas.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Dobradinha: Dusty Old Fingers e Makinária Rock

Hail! Hoje a dobradinha trás quatro bandas que lançaram obras em 2013, todas elas brasileiras! Na verdade essas bandas integravam (junto com outras) a desejada Retrô 2013, que este autor acabou por não realizar por falta de tempo e de clima. Afinal, comemorar Natal em tempo de Páscoa não tem condição. Mas podem esperar dobradinhas regulares pra saber o que aconteceu de bom no cenário rockeiro do Brasil!

Dito isso, vamos conhecer essas bandas...


Makinária Rock - Cidade Rock

Ano: 2013
Estilo: Rock
Gravadora: Independente
Sobre a banda: Nascida em 2008, a banda paulista já tem uma boa experiência na estrada, tanto por ter passado por um troca-troca de integrantes com intensidade comparável ao de uma banda grande, quanto por já ter participado de várias coletâneas de Rock brasileiro, mais de cinco pra ter uma ideia. E isso tuso acontecia enquanto a banda gravava discos e EPs, até chegar a esta obra de 2013.
Sobre o álbum: Nada como ouvir uma banda independente e que tem competência pra imprimir sua própria personalidade. Não tem mistério no que a banda faz, é Rock and Roll simples e direto, com ritmo e pegada firmes e riffs sujos e pegajosos que fazem o ouvinte ficar feliz por ouvir algo tão puro e descompromissado. Entretanto, talvez ele tivesse uma impressão melhor do disco se ele fosse melhor produzido e não tivesse uma sonoridade tão "abafada", mas até que esse ponto negativo pode ser relevado, pois isso fez a sonoridade do álbum ficar crua, o que combina perfeitamente com a proposta da banda. Além disso, as letras são divertidas e perfeitas pra curtir tomando cerveja ou curtindo ao vivo, certamente uma boa pedida. Enfim, esse álbum não é a oitava maravilha do mundo, mas não é algo que te impeça de se divertir e vibrar com a banda. Enjoy it.
Faixas:
01. Acorda (intro)
02. Makinária Rock
03. Cidade Rock
04. Rock n' Roll
05. Magrela
06. Interesseira
07. Hora de Pico
08. Rotina
09. Pão com Cerveja (Velhas Virgens)
Ouça agora


Dusty Old Fingers - The Man Who Died Everyday

Ano: 2013
Estilo: Rock and Roll
Gravadora: Independente
Sobre a banda: Esse é um projeto idealizado por Fabiano Negri, vocalista da banda Rei Lagarto, e Tony Monteiro, redator da Roadie Crew. Ele e outros camaradas se juntaram pra fazer uma rock-ópera sobre a vida de Brian Jones, o primeiro guitarrista do Rolling Stones mais conhecido por fazer parte do Clube 27.
Sobre o álbum: Ele demorou dois anos pra ser produzido, mas esse trabalho cansativo e árduo resultou num álbum milimetricamente preparado para NÃO ser um show de firulas técnicas soberbas e virtuosas, mas ser um trabalho focado no feeling e em influências psicodélicas e do blues muito bem-vindas, com direito a gaitas, efeitos de guitarra, vozes de apoio femininas e outros elementos que enchem a obra de vida. Na parte lírica, a banda aborda os altos e baixos da vida de Brian, alternando os momento mais felizes em músicas animadas e os momentos ruins em passagens mais melancólicas, onde o psicodelismo entra em destaque. Enfim, é um prato cheio pra quem quer relaxar e ouvir uma obra-prima que respira do mais puro rock and roll clássico e sem (muita) influência do Hard Rock.
Faixas:
01. My Best Enemy
02. The World at My Feet
03. Blondie Hair, Baby Face
04. Librae Solid Denarii
05. Everthing That I Want
06. Lost Eyes
07. Dirty Hands
08. Going to Hell
09. A Shadow Of Myself
10. The Man Who Died Everyday
Ouça agora

Bônus
Clique nas capas pra ouvir os CDs online

Banda: AVC
Álbum: O Rock É Meu Pastor
Ano: 2013
Estilo: Rock

Banda: Kamboja
Álbum: Kamboja
Ano: 2013
Estilo: Hard Rock

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Lendo faixas de discos


Já é automático ler as faixas de discos, mesmo aquelas indecifráveis.

E pensando bem, ler quaisquer faixas de disco é inútil, porque não dá pra saber quais serão as melhores músicas, aquelas que você vai querer aprender a tocar, aquelas que você vai passar direto sem curtir muito, aquelas que se tornarão clássicos futuros, etc. Faixas de discos só fazem diferença depois que você as ouve.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Vivendo no ócio [31]

Saudades do Vivendo no ócio, pessoal? Ah, vocês nem lembravam dessa playlist de domingo que reúne músicas a partir de uma tem qualquer. Mas enfim, esta edição traz cinco clipes safadinhos pra lembrar que o Rock é feito principalmente do primeiro elemento do seu lema, o sexo. Então assista, relaxe e goze, ou não.

O primeiro clipe reúne show de Rock e striprease. Tinha que ser coisa de sleaze-glam-hard-farofa-Rock, esses safados.